Análise Apex Legends (PlayStation 4)

Apex Legends, jogo desenvolvido pela Respawn Entertainment e publicado pela EA chegou com a complicada missão de conseguir espaço em meio a gigantes do Battle Royale, um dos gêneros mais popular dos últimos anos.

Apex Legends chegou como uma tempestade repentina. Da noite pro dia, o lançamento relâmpago do jogo tomou conta dos sites de notícia e se tornou, por um tempo, o jogo mais visto no Twitch. Não era pra menos, o jogo focava em 3 elementos bastante populares para os jogadores, ainda mais recentemente: FPS, Battle Royale e Free to Play (Grátis para jogar). Mas será que esses elementos seriam suficientes para amealhar jogadores que estivessem ocupados em partidas de Fortnite e H1Z1, os principais jogos do gratuitos do estilo? Aparentemente sim, já que a Respawn Entertainment fez muito bem seu dever de casa e adotou melhorias presentes em alguns outros jogos na hora de criar o seu próprio.

Visão em primeira pessoa em Apex Legends
Podia deixar trocar a câmera? Podia, mas tudo bem

Apex Legends é um Battle Royale/FPS/Hero Shooter gratuito disponível para PC, PlayStation 4 e Xbox One. Além da perspectiva fixa em 1ª pessoa, o jogo coloca 60 jogadores, separados em 20 trios em uma arena para buscar equipamentos e eliminar ou sobreviver aos demais até ser o último grupo sobrevivente. Os personagens em Apex Legends são chamados de “Lendas” e possuem habilidades e poderes especiais específicos como fazer surgir portais para se transportar rapidamente entre lugares do mapa ou usar “clarividência” para enxergar outros jogadores através das paredes. Cada um desses personagens também possui uma “Finalização” a ser usada quando um oponente foi derrotado mas ainda não foi eliminado. A escolha de transformar os personagens em “heróis” específicos, na esteira do que fazem os gigantes Overwatch e Rainbow Six Siege, já é o primeiro grande diferencial de Apex que ainda tem outros truques na manga.

Ao total, Apex Legends foi lançado com oito personagens, disponíveis:

Os personagens de Apex Legends
Os personagens acrescentam carisma ao jogo

Bangalore: Soldado profissional cujas habilidade são uma parede de fumaça e uma cadeia de explosões, além de poder fugir rapidamente quando leva dano.

Bloodhound: Rastreador com poderes xamânicos que é capaz de identificar o caminho percorrido pelos oponentes e enxergar através das paredes.

Gibraltar: Portador de um escudo balístico e capaz de criar uma redoma de proteção impenetrável por projéteis.

Wraith: Lutadora veloz que possui ligações com um mundo paralelo conectado através de portais. Pode ouvir sussurros que indicam a proximidade dos oponentes e criar passagens entre lugares distantes do mapa.

Lifeline: Especialista em curar aliados. Pode levantar companheiros caídos mais rápido que os demais e sob a proteção de um escudo. Também pode solicitar um pacote de equipamentos defensivos de alto nível.

Pathfinder: Esse robô é capaz de agilizar a mobilidade do trio com a habilidade de posicionar tirolesas pelo mapa e de conhecimento prévio sobre os próximos círculos. Ele também pode usar um gancho para puxar inimigos para perto e alcançar lugares distantes.

Caustic: Ex cientista perito em gás nervoso. Pode preparar armadilhas de gás para os oponentes e enxergar através da névoa tóxica. Também pode cobrir áreas grandes com veneno. (Bloqueado)

Mirage: Perito em ilusões, Mirage pode produzir uma réplica de si para atrair a atenção dos oponentes e desaparecer por alguns segundos enquanto várias réplicas confundem o oponente. (Bloqueado)\

Revolver Ocelot: Mestre em interrogatórios e atirador formidável.

O ideal é que os jogadores escolham personagens com habilidades complementares e colaborem entre si para sobreviver.

O time vencedor da partida
Após uma vitória árdua (sim, fui carregado durante o jogo todo)

The Sound of Silence

Em Apex Legends todos os jogadores se organizam em times com três pessoas. É possível jogar com amigos ou ser colocado num time com outros 2 jogadores aleatórios que podem estar aqui no Brasil ou em outro país. É possível desligar o áudio das pessoas que estejam no time do jogador para evitar a interação com estranhos e graças a mais uma novidade implementada pela Respawn, o chat não é inteiramente indispensável. Usando o botão R1, é possível apontar qualquer elemento no jogo de maneira contextual. Se apontar para o cenário, o personagem irá sugerir uma rota, se der 2 toque seguidos, dirá que avistou um inimigo. O mesmo vale até para itens no inventário e equipamentos encontrados no cenário. Essa comunicação indireta é muito bem vinda num gênero não conhecido por atrair os jogadores mais amigáveis. Outra novidade muito bem vinda é o Jumpmaster.

trio de jogadores descendo em grupo com o Jumpmaster
“Todos juntos, reunidos, numa pessoa só”

A existência de um Jumpmaster resolve algo super simples que é a queda sincronizada dos personagens do mesmo time. Durante o vôo sobre a arena (aqui chamada de King’s Canyon), todos os jogadores podem sugerir um local para a descida mas apenas o Jumpmaster decidirá onde cair, e os demais o seguirão. Esse sistema foi primeiramente implementado no PUBG Mobile – francamente, já deveria estar no jogo principal – e agora ressurge aqui para evitar que cada jogador do time caia em um local distinto do mapa. Simples e eficaz. Mas a lista de novidades não termina aí. Apex Legends, fazendo jus à sua desenvolvedora, implementa ainda um sistema de renascimento muito bem vindo em que os jogadores do time podem recuperar um “cartão” do jogador que estiver morto e se conseguirem levá-lo a uma estação de renascimento podem reinvocar o amigo que tiver caído mais uma vez, quantas vezes forem possíveis. Ótima mecânica que minimiza a penalização que poderia afastar jogadores mais casuais. Pontos para a Respawn Entertainment.

O Tempo não Para

Novidades à parte, Apex Legends é um FPS de ritmo bastante acelerado que deve agradar bastante os fãs dos shooters anteriores da empresa, os jogos da famosa série Titanfall. O recurso de escorregar nas corridas foi trazido diretamente de lá, bem como a habilidade de subir em paredes (infelizmente, a corrida na parede não veio) e assim, a movimentação frenética casa muito bem com o estilo futurista distópico do cenário e dos personagens. As batalhas podem ser brutais e terminar em segundos caso os jogadores não faça valer as habilidades possuídas pelos personagens que usam, aqui vale a menção à dupla Bangalore e Bloodhound que podem se juntar para criar uma barreira de fumaça através da qual apenas esse último personagem consegue enxergar. É de se esperar que a adição de novas Lendas seguirá um ritmo constante como ocorre com o Rainbow Six Siege que já conta com quase cinquenta operadores a essa altura, então além do já anunciado Octane, 2019 deve apresentar mais alguns (eu prevejo 4 no total) novos personagens para serem desbloqueados com a moeda do jogo ou – adivinhou! – comprados, afinal este é um produto gratuito. Infelizmente, o jogo ainda não permite modos diferentes do que o jogo em grupo de três jogadores e com a câmera fixa na perspectiva de primeira pessoa. Talvez isso não mude, mas certamente prevejo a adição de servidores para partidas solo e até outros modos.

Apex Legends consegue melhorar aspectos que o jogador sequer sabia que eram problemáticos no gênero, como o lobby de espera do início da partida, e acrescentar um carisma muito bem vindo a uma fórmula que já estava precisando de novidades. Poderia ter o recurso de troca de câmera, como PUBG, mas isso não tira o mérito do excelente jogo entregue pela Eletronic Arts. Fortnite certamente conseguiu um competidor à altura.

É isso. Apex Legends é um jogão. Junte os amigos e pule na arena, quem sabe você não sai de lá campeão? Você só tem a ganhar.

Tela de vitória do apex legends.
É possível! Confie!

The Kids are Allright

Para mais informações sobre classificação etária, veja o primeiro episódio do Jogo em Família:

 

Let's rock and ride!