Plants vs Zombies Garden Warfare, a análise

Após meses jogando esse divertido shooter de Plantas e Zumbis, analisamos a versão de Xbox 360 de Plants vs Zombies Garden Warfare.

Ficha técnica

  • Plataforma: PC / Xbox 360 / Xbox One
  • Lançamento mundial: 25 de janeiro de 2014 (Xbox 360 e One) / 24 de junho de 2014 (PC)
  • Desenvolvedor: POPCAP
  • Distribuidor: EA Games

Após muitos anos da hegemonia dos jogos de tiro em primeira pessoa, alguns jogos como Battlefield, Call of Duty e KillZone já não inovam tão mais como quando eram títulos recém lançados e tinham um futuro promissor.

Diante desse cenário, uma nova safra vem surgindo, jogos mais casuais, com foco na diversão, eliminando a dedicação diária de estar online para evoluir suas habilidades e se colocar a prova.

Plants vs Zombies originalmente veio como uma série de jogos no estilo tower defense, colocando a prova a estratégia de seus jogadores ao fazer o uso de plantas e vegetais na batalha contra os terríveis zumbis.

Após o lançamento de Plants vs Zombies e Plant vs Zombies 2 Is All About Time, a EA Games e a POPCAP ousam e lançam Plants vs Zombies Garden Warfare, um jogo de tiro em terceira pessoa com a mesma temática de seus antecessores mas cheio de inovações, todas pensando em uma experiência única e divertida, mais uma vez colocando plantas e zumbis uns contra os outros dessa vez no campo de batalha.

Garden Warfare

O nome do jogo não é por acaso, Call of Duty Modern Warfare foi uma das séries de mais sucesso dos jogos de tiro, ganhando três títulos e sendo até hoje aclamada por seus fãs.

Plants vs Zombies Garden Warfare

Plants vs Zombies Garden Warfare segue uma receita semelhante, separando tanto plantas como zumbis em classes, cada uma com suas habilidades específicas, vantagens e desvantagens no campo de batalha.

Todas as classes são bastante semelhantes as dos FPS clássicos. No lado dos zumbis temos o soldado, engenheiro, cientista e o all-star, esse último um especialista em armas pesadas.

Já as plantas são formadas pela disparaervilha (soldado), girassol (médico), planta carnívora e cacto (seria equivalente ao atirador de elite, ou sniper). Todas as classes tem suas habilidades especiais sendo algumas plantas melhores contra alguns zumbis e vice versa.

Se pegarmos o cacto como exemplo, temos uma habilidade especial chamada dronalho, como o nome do mesmo sugere, é um drone em formato de alho com a habilidade de voar e disparar ataques mais leves, bom para deixar a vida dos inimigos mais baixa e revelar a localização dos mesmos.

No time dos zumbis, destacamos o cientista, um zumbi com uma aparência bastante peculiar, vestindo um jaleco branco e usando óculos, ele é capaz de curar seus “amigos” construindo torres de saúde e também tem a habilidade de construir plataformas de tele transporte.

Modos de jogo

Não seria suficiente apenas colocar plantas e zumbis em batalha e não criar algum atrativo para que os jogadores se interessassem pelo jogo. A inovação vem nas diferentes possibilidades dentro dos modos de jogo disponíveis para um ou vários jogadores.

Plants vs Zombies Garden Warfare

O modo clássico de jogo, onde defendemos nosso jardim dos terríveis zumbis continua existindo, mas agora somos colocados dentro de batalha, combatendo zumbis frente à frente e usando o cenário e os vasos de planta a nosso favor para sobreviver as ondas. Podemos jogar esse modo com até outros 3 amigos. Esse modo se chama Operação Jardim e conta com 10 (dez) ondas, sendo 2 (duas) delas de chefões e algumas delas com zumbis especiais. Ao concluir as 10 (dez), Dave resgata todas as plantas e vencemos o jogo.

Existe é claro o já citado modo de um time contra o outro (famoso team deathmatch), sendo divido em partidas mais amigáveis ou mais competitivas. No modo Capacho, onde as partidas são mais amigáveis, a cada morte retornamos ao campo de batalha com mais vida, porquê? Porque é mais divertido, como cita o próprio jogo.

Já o modo Derrubadas em Equipe é mais competitivo, e as equipes batalham para conseguir marcar 50 (cinquenta) pontos primeiro. Lembrando que cada amigo seu reanimado, diminui um ponto da equipe inimiga.

Um modo novo, inspirado no modo de captura de pontos existentes em Call of Duty e Battlefield, é o modo Jardins e Cemitérios, onde como plantas devemos impedir a invasão de zumbis em pontos específicos e conseguir lançar um míssil pepinuclear apontado para a Montanha Zumbão, e caso nossa missão seja completada com sucesso, o míssil é disparado e a ameaça zumbi eliminada. Já como zumbis devemos é claro impedir o plano das plantas e desativar o míssil. Nesse modo, as duas equipes são controladas por jogadores. Particularmente, senti uma grande facilidade em jogar esse modo como zumbi, atacar parece ser mais fácil que defender.

Plants vs Zombies Garden Warfare

No modo Gnomba devemos capturar um gnomo (sim, aqueles de jardim), que na verdade é uma bomba e plantar esse em ponto específicos da base inimiga. Lembra bastante o modo Obliteração do Battlefield 4.

Além de todos estes modos citados, podemos jogar um “Mistureba” onde vários modos e mapas alternam entre si, é quase uma diversão infinita.

Gráficos

Plants vs Zombies é um jogo com uma temática bem específica, não podemos esperar muita realidade, os gráficos é claro levam isso em consideração. No jogo somos capazes de pular muros e cercas da nossa altura ou até maiores, existem carros sem muito padrão, uns mais altos outros mais baixos e assim por diante, todos os elementos são em essência apenas um modelo fictício da sua realidade.

Foto de Divulgação Plants vs Zombies Garden Warfare
Plants vs Zombies Garden Warfare

As cores assim como os traços do cenário e dos personagens são muito bem feitos, os detalhes e texturas são simples mas em total harmonia com os demais itens. Algo muito legal implementado em Plants vs Zombies Garden Warfare é que cada personagem tem provocações e expressões faciais únicas, aumentando assim o carisma de cada um deles e deixando o jogo ainda mais divertido.

Apesar de um modelo de câmera totalmente novo, percebe-se o esforço e o bom trabalho da EA e POPCAP na modelagem do jogo. Além dos personagens “padrão”, diversas outras skins e itens estão disponíveis para cada personagem, seja planta ou zumbi.

O único adendo negativo dessa seção, é a diferença gráfica facilmente notável entre as versões de Xbox 360 e Xbox One. A versão de PC ainda não lançada, deve seguir os gráficos da versão de One.

Trilha sonora

Assim como os demais jogos da franquia, a trilha é original, muito bem trabalhada e toda instrumental. A música tema do jogo, é bastante semelhante a dos demais Plants vs Zombies, levemente modificada para este.

Cada fase tem sua música tema, todas conforme o tema de cada uma. O som dos personagens andando, provocando, usando suas habilidades e inclusive morrendo, são bem feitos e divertidos. Em geral, o som do jogo não impressiona, mas se mistura a divertida experiência durante o gameplay.

Figurinhas, skins e acessórios

Nada empolga mais em um jogo do que se sentir no controle, a não ser itens personalizáveis, gadgets e coisas assim. Isso realmente empolga mais. Quem nunca passou horas e horas personalizando seu personagem em um jogo, escolhendo sua aparência, apetrechos, roupas e vestimentas, ou mesmo em alguns jogos mais sérios, personalizando suas armas, alterando uma determinada classe, coisas assim. Pois é, Plants vs Zombies Garden Warfare tem tudo isso.

Plants vs Zombies Garden Warfare

Conforme avançamos no jogo, podemos desbloquear itens para personalizar a aparência tanto das plantas como dos zumbis. Chapéus, pinturas para as armas, acessórios para as mãos, cabelos personalizados e até tatuagens. Tudo para deixar nossa experiência ainda mais divertida. Além disso, existem outras skins de cada personagem, que trazem consigo algumas habilidades diferentes, como por exemplo acontece com o cacto, que tem sua versão “normal”, mas também possui uma versão congelante onde seus espinho deixam o inimigo mais lento, ou o elétrico onde seus espinhos dão choque.

Estes itens são desbloqueáveis conforme o jogador avança no jogo mas também podem ser comprados através dos pacotes de figurinhas usando a moeda ganha dentro do próprio jogo. Até o momento, não há necessidade de gastar dinheiro real no jogo. São também nos pacotes de figurinhas onde vem as plantas para usarmos no modo Operação Jardim.

Plants vs Zombies ou Garden Warfare?

Plants vs Zombies Garden Warfare pode não ser o shooter que a nova geração precisa, mas com certeza é o que ela merece. Ele não falha em tentar inovar mecânicas já batidas em outras franquias, não promete gráficos estonteantes e nem fica brigando para alcançar resoluções de 1080p com 60fps. Não falha em nenhum desses aspectos pois não tenta em momento algum apresentá-los aos seus jogadores, apenas cumpre a mais básica das funções dos jogos desde sua origem: nos divertir, e faz isso com louvor.

Plants vs Zombies Garden Warfare

Em determinados momentos é comum compararmos o jogo com títulos de outras franquias, durante a análise fiz muito isso, mas não devemos ver isso de forma negativa, é algo natural e quando feito da forma certa, serve para extrairmos os pontos bons de cada jogo e moldar nosso gosto.

Claro, isso é uma análise então todos os pontos devem ser levados em consideração, sendo assim adianto dizer que o jogo não alcança a nota máxima. Como todo jogo, Plants vs Zombies Garden Warfare possui alguns bugs, alguns deles as vezes nos irritam, determinados elementos gráficos poderiam ser bem mais polidos, faltam alguns modos na versão de Xbox 360 e a conexão com os servidores da EA GAMES como já era de se esperar, é capenga. Mas no geral, sinto que os R$ 79 (setenta e nove reais) investidos na versão digital valeram muito apena.

Avaliação:

8.5
  • Sistema de classes muito bem diversificada
  • Vários modos de jogo
  • Modelos dos personagens e cenário muito bonitos
  • Multiplayer não funciona corretamente
  • Diversão garantida e sem compromisso
  • Problemas de conexão com servidor
  • Faltam elementos da versão de Xbox One no 360
É um sul-mato-grossense e tem 27 anos, que começou no mundo dos games jogando Master System e Mega Drive, quando então conheceu o melhor console já criado neste mundo: o Super Nintendo. Já foi dono dos "clássicos" PSOne e PS2 e hoje passa horas disputando partidas nos battle royale da vida ou streamando!