Análise Stardew Valley (Mobile/Android)

Concebido inteiramente por Eric Barone, Stardew Valley é um gerenciador de fazenda com elementos simples de RPG e grandes doses de carisma.

Conforme a indústria de jogos amadurece, fica cada vez mais fácil encontrar títulos que não estejam no escopo dos jogos AAA sem que isso seja garantia de qualidade duvidosa. Dia após dia, estúdios pequenos lançam pequenas pérolas carregadas de novidades, ou ainda, de nostalgia. Certamente esse é o caso de Stardew Valley, jogo que se tornou um fenômeno nos PCs, migrou para os consoles e que acabou de ser publicado para celulares.

Nascido com forte inspiração da série Harvest Moon e publicado pela Chucklefish, Stardew Valley foi concebido inteiramente por apenas um desenvolvedor chamado Eric Barone e caso você ainda não saiba do que se trata, Stardew Valley é um gerenciador de fazenda com elementos simples de RPG, gráficos estilo 16-bit e grandes doses de carisma.

Tudo tem início quando seu personagem está em seu local de trabalho, um escritório, e se dá conta de que não quer mais aquela vida. Sua sorte muda quando decide abrir uma carta escrita pelo seu avô, que te deixou de herança uma propriedade rural na Vila Pelicanos, que fica no Vale de Stardew. Assim começa a sua jornada, deixando tudo pra trás e indo em busca de tranquilidade e felicidade.

Pesca é uma das atividades em Stardew Valley
Pescar porque o almoço não vai ficar pronto sozinho.

Hereditário

Em Stardew Valley, você deve cuidar da sua fazenda com as ferramentas que possui: enxada, machado, foice e picareta. Esses instrumentos combinam as atividades de coleta de recurso e desenho das áreas da Fazenda de maneira bastante orgânica, assim, você não derrubará árvores apenas porque precisa coletar cem pedaços de madeira para a construção de um estábulo, mas também porque ali naquela área ficará sua plantação ou a sua granja, ou ainda o seu celeiro. Todas essas construções são conseguidas com Robin, a proprietária da marcenaria da cidade, esposa do biólogo Demetrius. Esses são apenas dois dos NPCs (personagens não-jogáveis) com quem você irá interagir ao longo da sua vida na vila. A maioria dos personagens é amigável e pode solicitar atividades que renderão recompensas e, dependendo do nível de amizade entre vocês, até casamento!

Emily é uma das personagens em Stardew Valley
Todo mundo é muito carismático!

Plantar, coletar recursos e fazer amizades são algumas das atividades presentes nesse jogo. Além disso é possível explorar a velha mina abandonada da cidade em busca de tesouros e enfrentar monstros cada vez mais perigosos enquanto desce cada vez mais fundo no subsolo. Cansado de explorar a mina? Que tal pescar? É possível construir armadilhas para pegar várias espécies de peixe ou pescar usando vara e isca em busca de peixes especiais para o Centro Comunitário. Cada uma das várias atividades giram em torno de um núcleo de personagens e produtos. Pesca, por exemplo, está relacionada com o velho Willy, vendedor de iscas e outros materiais enquanto a exploração nas minas melhora com a aquisição de melhorias para suas ferramentas no ferreiro da cidade. Mas o produto de todas as atividades está relacionado à maior demanda de todas: o restabelecimento do Centro Comunitário.

Restabelecer o centro comunitário é o maior desafio do jogo
O desafio supremo!

Cotidiano

A vila possui esse centro abandonado que é objeto de interesse da corporação onde você trabalhava antes de se mudar. Acontecimentos estranhos ocorrem e no fim das contas, você recebe a missão de restabelecer esse local através da doação de produtos específicos relacionados a alguma das atividades disponível no jogo: coleta, cultivo, pesca, etc. Cada conjunto de ofertas completado garante uma recompensa e só posso presumir que ao final haverá uma maior pois ainda não consegui completar tudo. Essa vasta lista de atividades e demandas faz de Stardew Valley um jogo riquíssimo e um voraz consumidor do seu tempo. Cada dia no jogo deve durar pouco mais que 15 minutos e o loop é incrível. Mesmo com os controles de toque na tela do celular, é bastante improvável que alguém consiga jogar apenas um dia por vez. O gerenciamento complexo porém bastante amigável entre energia, dinheiro, amizades, doações, e demais atividades deixa sempre um gancho para algo que pode ser conseguido no dia seguinte, ou no seguinte, ou no seguinte.

Stardew Valley tem até um mago
Tem um mago!

Essencialmente, esse é exatamente o mesmo jogo lançado em 2016 para PC e consoles algum tempo depois. A única diferença talvez seja a mais significativa entre todas: os controles por toque na tela. Por ser um jogo simples, dominar os comandos em Stardew Valley não será nada perto da complexidade apresentada por um PUBG Mobile. Em alguns dias acordar para regar suas plantas será a coisa mais natural do mundo (a minha única dificuldade era lembrar como aproximar e afastar a distância da tela). Ajuda muito essas atividades serem parte de um mundo belíssimo, acompanhado de uma das melhores trilhas sonoras já feitas desde SimCity 4, que também é obra do talentoso Eric Barone.

Vamos Fugir

Se você chegou até aqui e ainda não está convencido, talvez esse último argumento resolva: o preço. Eu costumo dizer que, apesar das concessões necessárias, os celulares são a experiência mobile definitiva que alguém pode ter ao jogar um videogame e como quase todo mundo possui um aparelho em mãos, eles representam a porta de entrada mais fácil para esse universo. Isso é duplamente verdadeiro aqui. Não só é possível jogar Stardew Valley em qualquer lugar agora que ele está disponível para celulares, como é aqui que o jogo está mais barato. Então, se você sempre esteve curioso sobre esse título, agora que sabe que ele é um excelente jogo e que está barato, não há motivos para que você também deixe o stress do trabalho por pelo menos 15 minutinhos a cada dia e vá viver alguma aventura na Vila Pelicanos. Todo mundo está te esperando.

Let's rock and ride!