Conversa de Sofá

Por Flávio Ricardo em 03/11/2014

Gotham S01E06 – O Espírito do Bode

Gotham continua falando o universo de Batman e seus inimigos sem a necessidade de uma sólida presença do homem morcego. Confira a crítica do sexto episódio.

Pois é eu sei, vocês devem estar se perguntando cadê a critica dos outros 4 episódios anteriores, mas isso eu explico no final.

O sexto episódio da série Gotham foi um misto de sentimentos, se por alguns momentos aparentava ser apenas mais um episódio daqueles para acalmar os ânimos e contar um pouco mais da história de um personagem, em outros era uma avalanche de informações novas e ação policial.

Espírito do Bode começa com um flashback de Bullock, o parceiro de Gordon, resolvendo um caso envolvendo um assassino em série que se intitula o Espírito do Bode, que por sua vez sequestra e mata os primogênitos das famílias ricas de Gotham.

Durante o flashback percebemos um Bullock muito mais justo e com um senso de herói, que não mede esforços para deter o assassino, mas infelizmente durante a captura do malfeitor, acaba deixando seu parceiro em maus bocados e o mesmo acaba numa cadeira de rodas, o que deixa Bullock com um senso de culpa e remorso.

Voltando para o presente, Bullock se vê mais uma vez enfrentando o que até então todos imaginavam ser um imitador, que novamente trouxe os dias de medo do Espirito do Bode a Gotham. E isso é claro, o abala e faz lembrar do seu passado e seu antigo parceiro.

Gordon por sua vez deve além de resolver o caso, lida com uma situação um pouco delicada, além dos questionamentos de Barbara sobre suas atividades como policial, existe a real ameaça de Montoya e Allen tentando provar seu envolvimento com a máfia e o suposto assassinato de Oswald Cobblepot, o Pinguim. A essa altura da série, sabemos da inocência de Gordon uma vez que Oswald vive. Porém esse é um real perigo a Gordon, de um lado está a ameaça legal e do outro a máfia.

Oswald Cobblepot, o Pinguim

Oswald Cobblepot, o Pinguim

Voltando para o caso do Espírito do Bode, Gordon e Bullock tem a vantagem de já conhecer os passos do assassino original e apenas aplicar os mesmos conceitos para capturar o imitador, bastando apenas ligar os pontos aos fatos do presente. Não demora muito para eles acabarem no mesmo local onde originalmente Bullock e seu antigo parceiro capturaram o criminoso há 10 anos atrás. O “novo” criminoso não dá muito trabalho para ser capturado, mas ao contrário do que imaginávamos, o grande mistério por trás do Espírito do Bode ainda estava longe de ser desvendado.

Montoya e Allen continuavam a buscar pro provas que pudessem incriminar Gordon e parece que finalmente haviam conseguido pois uma testemunha alegava ter visto o detetive na cena do crime.

O sexto episódio de Gotham superou as minhas expectativas, começou de forma bem lenta, sem muita pretensão, mas acabou mostrando um lado diferente e promissor de Bullock, teve alguns momentos dedicados ao personagem Nygma que no futuro promete se tornar o Charada, e o final, sim, o final do episódio é sensacional.

A ideia dessa crítica não é dar spoilers dos episódios, mas sim ambientar um pouco vocês ao universo da série. E sobre os episódios anteriores, do 2 ao 5, pretendo fazer uma crítica da série até o momento, passando de forma superficial sobre esses episódios e falando o que eu estou gostando e o que eu não estou gostando em Gotham.

É um sul-mato-grossense de 20 e poucos anos, que começou no mundo dos games jogando Master System e Mega Drive, quando então conheceu o melhor console já criado neste mundo: o Super Nintendo. Já foi dono dos "clássicos" PSOne e PS2 e hoje passa horas disputando partidas online de Gears of War 3 no Xbox 360.
DEIXE UM COMENTÁRIO
ÚLTIMAS ANÁLISES
  • Análise Playerunknown’s Battlegrounds (PlayStation 4)

    O jogo que popularizou o gênero Battle Royale finalmente foi lançado no console da Sony para a alegria dos jogadores da plataforma PlayStation (e da Bluehole, que agora atinge a maior base instalada dessa geração). A criança prodígio do Brendan Greene chegou a tempo ou tarde demais?

  • Análise Crashlands (Nintendo Switch)

    Originalmente lançado para celulares e posteriormente para PC, a versão de Switch desse RPG de ação em tempo real foi desenvolvida para ser controlado em telas de toque e com controle convencional. O que é perfeito para o console híbrido da Nintendo.

  • Análise H1Z1 (PlayStation 4)

    Na recente tendência dos jogos Battle Royale, H1Z1 estreia no Playstation 4 com a pretensão ambiciosa de bater de frente com Fortnite, o gigantesco sucesso da Epic Games.

  • Análise Bloodstained: Curse of The Moon

    Inti Creates teve a tarefa de entregar a prévia do Bloodstained Ritual of The Night e criou um perfeito sucessor do Castlevania original de 1986.

  • SOBRE
    O Conversa de Sofá é um site com notícias, dicas e tutoriais sobre jogos, análises e novidades sobre os últimos lançamentos e cobertura de eventos.
    Asantee Games
    Ethanon Engine
    REDES SOCIAIS