Gotham S01E07 – Penguin’s Umbrella

O sétimo episódio de Gotham releva detalhes importantes sobre a trama e sacramenta os personagens de James Gordon e Pinguim como os protagonistas da série.

O verdadeiro herói de Gotham. Pinguim. Relevações.

Acreditem se quiser, mas essas três frases resumiriam com louvor o excelente sétimo episódio da série Gotham. Em Gotham S01E07 – Penguin’s Umbrella, ou numa tradução literal, O Guarda-chuva do Pinguim, podemos enxergar todo o potencial de uma série que nasceu cheia de ressalvas e carente de um Batman. Após sua estréia, Gotham vem passando por uma metamorfose a cada novo episódio, a série que teve seu anúncio focado no então detetive James Gordon vem ganhando novas estrelas e uma trama cada vez mais envolvente.

Neste sétimo episódio, damos sequência aos acontecimentos do último episódio, onde após resolver mais um caso de polícia, Montoya e Allen são surpreendidos com a aparição de Oswald Cobblepot, o Pinguim, que inocenta Gordon. É claro, nem todos ficaram contentes com essa notícia, e uma dessas pessoas era bem próxima a Gordon, seu parceiro Harvey Bullock. Se você não deseja ter spoilers da série, não leia os parágrafos abaixo.

Após ser solto, Gordon está conferindo seus pertences no vestiário da polícia de Gotham quando Bullock o aborda e saca sua arma, dizendo que o mataria ali mesmo porém, o levará até Falcone para que este tome as devidas providências e o puna por seu erro. Gordon tenta persuadi-lo a fazer o certo porém quando não há mais solução, luta com Bullock e o deixa ali mesmo, no chão. Ao saber que o Pinguim está vivo, a personagem Fish Mooney fica furiosa e atribui a Gordon a culpa, mandando seus capangas até sua casa, porém Gordon ainda não está lá e sua noiva Barbara é feita refém.

O verdadeiro herói de Gotham. Quando Gordon chega em sua casa e se vê diante daquela situação, ele não perde seu ímpeto de justiça em momento algum, e com muita segurança atira em um dos capangas de Fish e nocauteia o outro, salvando Barbara e a mandando para fora de Gotham City. Sem pensar muito, ele retorna ao departamento de polícia de Gotham para fazer seu trabalho como policial, emitindo mandados de prisão aos chefes da máfia de Gotham e seus comparsas. Nesse mesmo local vemos Gordon mais uma vez agir como um verdadeiro herói.

Quando Don Falcone manda o assassino Victor Zsasz capturar Gordon, ninguém imaginaria que ele iria acabar trocando tiros com o detetive dentro do departamento de polícia da cidade, ninguém imaginaria ver 50 policiais armados esvaziaram o local e abandonar Gordon contra Zsasz e duas campangas (sim, mulheres), mas ninguém imaginaria mesmo era ver Gordon desafiar e enfrentar Zsasz sem demonstrar o menor medo, atirando em seu inimigo de um ponto fixo como se estivesse protegido por algo maior, por algo que realmente valesse à pena lutar.

Pinguim. Quando os capangas de Fish falham e Gordon consegue fugir também de Zsasz, a mafiosa vai até Don Maroni pedir que ele entregue o Pinguim, que agora trabalha para o outro lado da máfia. Maroni é claro nega o pedido de Fish e em tom de deboche, faz Pinguim pedir desculpas a ela, que é claro sabe tirar total proveito do momento. Fish não aceita a situação e manda seus homens sabotaram Maroni. Porém Maroni tem uma arma mais valiosa que as semi-automáticas, Pinguim conhece bem os esquemas de Falcone, Fish e seus afiliados. Ele conta a Maroni sobre um ponto de grande concentração de valores da máfia inimiga e junto com seus homens vai até o local se vingar. O que ninguém poderia imaginar é um Pinguim que de um pobre coitado, se aproveita da situação e assume o papel de braço direito de Maroni. Pinguim é um dos, se não o melhor personagem da série até o momento.

Do outro lado da cidade, Montoya e Allen estão ajudando Gordon a se manter vivo enquanto ele bola um plano contra Falcone, ele aproveita a situação e vai até a casa de Bruce Wayne e revela tudo o que está acontecendo, ele diz também que caso algo aconteça a ele, Bruce deve confiar em Montoya e Allen para desvendar o mistério sobre a morte de seus pais. Bruce está cada vez mais forte e adulto, mas por um momento, numa emocionante cena, ele abraça Gordon e demonstra estar com medo de perder seu amigo.

Victor Zsasz

No dia seguinte, Gordon decide que não há mais como fugir de seu destino. Agora com a ajuda de Bullock, que decidiu jogar do lado dos mocinhos, eles partem com mandados de prisão para o prefeito e Falcone. O prefeito é facilmente abordado e feito prisioneiro, eles aproveitam o envolvimento do mesmo para chegar a Falcone, e o fazem. Porém quando o plano aparentava ter funcionado, com toda sua calmaria, Falcone os surpreende e releva ter Barbara em custódia, e apenas poderá garantir a liberdade dela caso Gordon e Bullock se entreguem. Dito e feito, após se entregarem, Falcone a libera e num ato até então sem explicação, poupa também vida de Gordon e Bullock, os deixando ir. Ambos vão embora, Gordon e Barbara se abraçam e se beijam.

Na última cena, o maior plot twist da série até agora. Falcone está cuidando de alguns animais em seu quintal quando longe na chuva vemos um guarda-chuva vindo, sim senhoras e senhores, é Pinguim que vem vindo e é recebido por Falcone com a frase “Meu grande amigo”. Nessa hora, um flashback mostra o dia em que Pinguim foi capturado por Fish Mooney e estava jurado de morte, e é nesse momento em que ele e Don Falcone articulam a trama que rege toda a série até o momento, é fantástico, até nos mínimos detalhes.

E assim acaba o sétimo episódio da série Gotham, Penguin’s Umbrella ou O Guarda-chuva do Pinguim. A série vem ganhando volume e consistência como nenhuma outra, espero que continue assim e que continuemos esquecendo que se trata de uma série sobre Gotham sem um Batman. Agora são 2h47 da madrugada, sei que é tarde, mas eu não poderia deixar de escrever sobre o sétimo episódio logo após assistí-lo, era quase obrigação, espero ter sido justo e coerente, até a próxima!

É um sul-mato-grossense e tem 27 anos, que começou no mundo dos games jogando Master System e Mega Drive, quando então conheceu o melhor console já criado neste mundo: o Super Nintendo. Já foi dono dos "clássicos" PSOne e PS2 e hoje passa horas disputando partidas nos battle royale da vida ou streamando!