Jogamos na BGS: com dublagem em português, Skydome mistura tower defense e MOBA

Fruto da indústria brasileira de jogos, Skydome é um action tower defense muito divertido e prato cheio pra quem é fã de partidas online em equipe.

No ano passado, a Kinship esteve na Brasil Game Show com o Wipace, um dispositivo de detecção de movimento integrado à realidade virtual, e com um protótipo do jogo Skydome.

Na época, o jogo ainda estava em fase de validação da ideia e devido ao feedback positivo durante o evento por parte dos jogadores que passaram por lá e testaram Skydome, a empresa embarcou de vez na missão de torná-lo um jogo completo e divertido.

Na BGS 2017, a empresa veio com um estande dedicado ao jogo, todo decorado com as artes e cenários de Skydome, estações onde os desenvolvedores ensinam o público a jogar, além de uma arena dedica a competições com direito a narração e premiação.

Skydome é um action tower defense com muitos elementos que lembram um gênero em ascensão no momento, o MOBA. Os desenvolvedores juram que não, mas pra quem é fã de League of Legends ou Dota 2, com certeza vai se sentir em casa.

Parte da dinâmica do jogo consiste dividir a defesa dos seus pontos de controle em rotas, como nos MOBAs, sendo três: superior, meio e inferior. Os pontos de controle não atacam os “lacaios” que vão em direção à sua base (ou artefato, como é chamado em Skydome), mas servem como linha de defesa, assim como nos MOBAs. O papel dos “lacaios” é destruí-los para que assim possam partir para o próximo objetivo que é a sua base.

Diferente dos MOBAs, os “lacaios” aqui não se encontram nem batalham entre si, a defesa fica toda por conta de cada conquistador (como são chamados os heróis do jogo), que possui um ataque básico e algumas habilidades especiais, cada um de acordo com a sua “classe”.

Na build que jogamos durante a BGS deste ano, notamos um enorme avanço em relação a versão de 2016, além de diversas mecânicas e implementações novas, os gráficos do jogo sofreram melhoria significativa e além de estar localizado em português do Brasil, o jogo também está dublado, contando com vozes conhecidas como Guilherme Lopes, dublador de Mr. Satan de Dragon Ball.

A partida que jogamos durou cerca de 20 minutos e terminou com a vitória do time de desenvolvedores, que obviamente dominaram o jogo, ainda assim, mesmo saindo derrotados, diversão é com certeza um fator que Skydome entrega bem para quem tem afinidade com o gênero.

Tudo indica que quando sua versão final for lançada, a Kinship vai tentar levar Skydome para os e-Sports, já que sua mecânica consiste em partidas online entre dois times onde uma boa estratégia ou habilidade individual podem ser um diferencial.

Quem estiver interessado em mais informações sobre o jogo, seus conquistadores, habilidades e acompanhar o diário de desenvolvimento do jogo, pode acessar o site oficial de Skydome, onde é possível também se cadastrar para a beta do jogo.

É um sul-mato-grossense e tem 27 anos, que começou no mundo dos games jogando Master System e Mega Drive, quando então conheceu o melhor console já criado neste mundo: o Super Nintendo. Já foi dono dos "clássicos" PSOne e PS2 e hoje passa horas disputando partidas nos battle royale da vida ou streamando!