“Megaman” está voltando… ou quase isso

É quase isso, o jogo não irá se chamar Megaman (ou Rockman na versão japonesa), trata-se de Mighty No. 9. Este projeto é mais uma obra da mente brilhante de Keiji Inafune, uma das figuras mais importantes da indústria de jogos no Japão, que participou na elaboração de todos os jogos principais da franquia Megaman (ele foi o desenhista e criador do primeiro Megaman, de 1987), seja como designer ou produtor, ele também atuou em outras franquias como Resident Evil e Dead Rising.

É quase isso, o jogo não irá se chamar Megaman (ou Rockman na versão japonesa), trata-se de Mighty No. 9. Este projeto é mais uma obra da mente brilhante de Keiji Inafune, uma das figuras mais importantes da indústria de jogos no Japão, que participou na elaboração de todos os jogos principais da franquia Megaman (ele foi o desenhista e criador do primeiro Megaman, de 1987), seja como designer ou produtor, ele também atuou em outras franquias como Resident Evil e Dead Rising.

Em outubro de 2010, após muita desavença entre ele e a Capcom, e um aparente cancelamento de um de seus projetos, ele se desliga da empresa e no mesmo ano, cria sua própria desenvolvedora, chamada Comcept. Três anos após a criação da empresa, Inafune parece não ter encontrado financiamento para o jogo e agora está apelando para os fãs: criou uma Kickstarter para financiar seu projeto.

Os valores iniciais pareciam bem ambiciosos: ele necessitava de 900 mil dólares. Com uma equipe formada por desenvolvedores e designers fortemente ligados a Megaman ou a Capcom no passado, o projeto deslanchou e em menos de uma semana já havia atingido a meta. Como forma de agradecer aos fãs e também de mostrar que o dinheiro será bem usado, foi estabelecido novas metas para cada valor atingido:

  1. 1 milhão e 200 mil dólares: Originalmente com duas fases o jogo passaria a ter mais dois estágios se eles conseguirem arrecadar este valor
  2. 1 milhão e 350 mil dólares: Versão para Mac e Linux
  3. 1 milhão e 750 mil dólares: Documentário sobre a criação do jogo
  4. 2 milhões e 200 mil dólares: Originalmente o jogo era exclusivo para PC. Porém, se eles conseguirem arrecadar este valor, haverão versões para consoles: PS3, Xbox 360 e Wii U

Hoje, dia 08 de setembro já foram arrecadados mais 1 milhão e 800 mil dólares já garantindo assim o documentário sobre a criação do jogo. Faltando 23 dias para o fim da arrecadação, me parece questão de tempo para que esteja garantido a versão de console. Caso ultrapasse a ultima meta de valores, ainda é prometido mais metas de criação (acho que um co-op entraria bem aí).

Mighty No. 9 assets

O jogo é uma homenagem aos primeiros jogos de Megaman, trazendo elementos de plataforma do fim dos anos 80 ínicio dos anos 90. Mas, além disso Inafune promete elemento modernos, além de uma experíência completamente nova. A arte conceitual lembra muito os personagens de Megaman, inclusive o personagem principal é o próprio Megaman, só que em uma roupagem diferente, além é claro do nome diferente, provavelmente por questões legais de direito autoral.

Mighty No. 9 stage Mighty No. 9 stage

Enfim, eu irei colaborar com algum valor, pois acredito que o projeto está realmente muito legal e se adequa perfeitamente a este momento em que vários clássicos estão sendo revividos (Castle of Illusion e Ducktales são alguns deles), trazendo a nostalgia e jogabilidade do passado, com a tecnologia do presente. E você ainda ganha diversos prêmios de acordo com a sua doação, como cópia digital ou física do jogo, artes conceituais e etc, podendo inclusive almoçar com o Keiji Inafune se doar 10 mil dolarés… OK essa eu passo.

Índio do pantanal, nunca teve console. Começou jogando no Super Nintendo na casa de amigos. Viveu a era de ouro das Lan Houses jogando CS 1.6 e NFS Underground. Analista de Sistemas, quase Engenheiro da Computação, vendeu a alma para a Steam, é grande fã das franquias Half Life e Max Payne.