Razer adquire os direitos sobre o software do microconsole Ouya

A Razer, famosa por seus acessórios para jogadores que levam o jogo a sério, dá mais um passo no mercado dos micro consoles e compra os direitos sobre o Ouya.

Semana passada, me questionando sobre “onde andava o Ouya”, me deparei com uma apagada notícia da aquisição da empresa pela Razer, sim aquela fabricante de acessórios conhecida pelos jogadores de todo o mundo.

Sempre tive um apreço pelo Ouya, não apenas pela enorme gama de possibilidades que um aparelho tão pequeno quanto ele nos dá, mas também por ser um dos primeiros aparelhos do gênero.

Quando foi anunciado em 2012, os fundadores do projeto esperavam arrecadar 950 mil dólares para desenvolver o Ouya, mas logo no primeiro dia, as contribuições chegaram a 300% do valor esperado, sendo finalizada em 8.5 milhões de dólares. O Ouya foi considerado um dos projetos mais bem sucedidos do Kickstarter.

Lançado em Junho de 2013, conforme citei, o Ouya nasceu através de financiamento coletivo e foi muito bem elogiado na época, pois se tratava de algo simples, mas com um poder de processamento alto para e época, dotado de 1GB de RAM, processador Quad-core além de conectividade HDMI, USB e Wi-Fi. Após vários atrasos e algumas incertezas, todos os backers receberam um Ouya em casa.

O aparelho tem hoje vários concorrentes e já chegou a ser vendido (como empresa) uma vez. O que me chama atenção nessa venda do Ouya para a Razer é que a transação aconteceu no começo de Junho, ou seja, quase dois meses trás, mas só agora a empresa soltou um release oficial sobre o assunto.

Pelo comunicado liberado pela Razer, pude entender que essa demora tratava-se na verdade de uma indefinição sobre como agir daqui pra frente. A Razer possui hoje o Forge TV, como o nome sugere, o aparelho é ligado em sua TV lhe permitindo transformá-la em uma central multimídia, além de rodar jogos, sendo assim, é como ter concorrência dentro de casa, para a Razer.

Micro console da Razer tem aspecto semelhante ao Ouya
Microconsole da Razer tem aspecto semelhante ao Ouya

A intenção da empresa é permitir que tanto jogos, quanto controles e contas sejam atrelados à plataforma virtual Razer Cortex, via Forge TV, e melhorem a experiência de jogos Android na TV. Além disso, a Razer planeja grandes descontos para novos usuários do Ouya que adquirirem hardwares da empresa e uma série de brindes e promoções que ampliarão a experiência no novo console.

Para deixar a situação mais clara, é preciso entender que a Razer comprou os direitos sobre software do Ouya e não do hardware, ou seja, a ideia é fazer com que os Ouya existentes no mercado se unifiquem usando o mesmo sistema operacional através da Razer Cortex. Sendo assim, em breve usuários de ambos os aparelhos (Ouya e Forge TV) vão estar unidos numa única plataforma.

Ao contrário do que muitos pensam, apesar de ter nascido como uma iniciativa mais independente, o Ouya é referência, diversas fabricantes de aparelhos do gênero invejam o software do dispositivo, a Razer agora, é detentora desse sistema. Coisas boas devem surgir dessa compra.

Provavelmente, não veremos mais aparelhos Ouya sendo fabricados, mas pelo menos não veremos também uma morte decretada do micro console.

Com sua própria loja de jogos e aplicativos, quem possui o microconsole continua a tecer elogios. Entre os sucessos de venda do Ouya, podemos citar o jogo de plataforma TowerFall Ascension, com mais de 7 mil cópias vendidas, além dele, méritos para o jogo brasileiro Magic Rampage, que ocupa hoje uma posição entre os mais baixados da loja.

É um sul-mato-grossense e tem 27 anos, que começou no mundo dos games jogando Master System e Mega Drive, quando então conheceu o melhor console já criado neste mundo: o Super Nintendo. Já foi dono dos "clássicos" PSOne e PS2 e hoje passa horas disputando partidas nos battle royale da vida ou streamando!