Análise Big Rumble Boxing: Creed Champions (PS4 e PS5)

Leve o seu oponente à lona em Big Rumble Boxing: Creed Champions, o mais recente jogo inspirado nos filmes Rocky Balboa e Creed.

Creed Champions capa

Apesar do nome confuso, é um jogo bastante direto ao ponto no que se propõe que é dar ao jogador a chance de reviver lutas icônicas na pele do , o personagem que alavancou a carreira do Sylvester Stallone, e de Adonis , filho do amigo e primeiro rival do Rocky, Apollo. Com uma abordagem arcade, o título desenvolvido e publicado pelo estúdio Survios, é bastante acessível nos comandos mas tem alguns socos escondidos na manga quando o assunto é a sua dificuldade.

Big Rumble Boxing: Creed Champions
Olha aí o power point animado de novo.

Voando Alto

O modo arcade do traz uma campanha que acompanha a carreira do lutador que você escolher e como eu não imagino qualquer motivo para escolher qualquer outro lutador em um jogo de boxe que tenha como personagem, comecei minha carreira contando os feitos do Garanhão Italiano para o novato Adonis. Contando aqui significa alternar caixas de diálogo com os avatares dos personagens murmurando uma ou outra interjeição enquanto mudam de fala já que não, nem Stallone nem Michael B. Jordan ou qualquer outro ator gravaram falas para esse jogo. Uma pena mesmo.

Escolhido o lutador, as disputas nos colocam em um ringue onde podemos nos movimentar livremente para todos os lados, diferentemente do que ocorre com Mortal Kombat, por exemplo – esse sim tem a voz do Sylvester Stallone – e exceto pelos golpes especiais usados em combos ou com triângulo, as lutas não fogem muito do que se espera de uma luta de boxe: quadrado é usado para golpes simples, triângulo para golpes especiais e círculo (bolinha para os íntimos) para agarrar o oponente. Há uma barra que acumula energia quanto mais acertamos golpes e um medidor que vai sendo esvaziado a cada soco defendido e quando ela acaba o nosso lutador fica completamente vulnerável tendo que se valer apenas do botão de esquiva (X) para não apanhar.

Cada lutador tem um golpe especial que é bastante perigoso, especialmente na mão dos nossos oponentes porque assim como foi na carreira do Garanhão Italiano, não facilita nem um pouco as coisas e arrebenta a nossa cara. Nada que o modo mais fácil não resolva.

Big Rumble Boxing: Creed Champions
Parece que o Rocky tá batendo mas o Clubber Lang tá preparando um cruzado matador.

Olhos de Tigre

Graças à parceria da desenvolvedora com a MGM, traz uma trilha sonora capaz de arrepiar os fãs do sorriso torto mais carismático de Hollywood. As músicas são aleatórias nos menus e alternam entre faixas mais modernas que remetem aos filmes do Adonis Creed e entre clássicos como Gonna Fly Now e Eye of The Tiger, momentos capazes de animar o fã das antigas para mais uma rodada de murros e esquivas.

Surpreendentemente, a campanha de conta uma história sobre lutas sendo arranjadas por um empresário que tem tudo pra ser um vilão de desenho animado, algo totalmente condizente com a direção artística caricata e cartunesca com que os lutadores são representados. Tudo opcional é possível de ignorar para ir direto para as lutas no modo Arcade ou nem existir caso você tenha alguém para jogar junto no modo Versus para 2 jogadores.

Alguns títulos baseados em produtos de cinema e televisão conseguem furar a bolha do material feito às pressas e entregar experiências divertidas, ainda que modestas comparadas com lançamentos AAA e este é o caso aqui. não vai revolucionar os jogos de boxe mas é divertido e direto em sua proposta, como o Cobra Kai: The Karate Kid Saga Continues foi com o gênero beat ‘em up. Uma pena que ele não possua multiplayer online e não aproveite mais o material original dos filmes ao contar a sua história.

Um ótimo jogo para os fãs veteranos da franquia de filmes do Rocky jogarem com seus filhos, amigos, sobrinhos que forem apresentados ao Sly pelos filmes do seu aprendiz, Adonis.

Big Rumble Boxing: Creed Champions
Os lutadores criados especialmente para o jogo poderiam ser mais interessantes.

A análise de foi escrita graças a uma cópia digital gentilmente cedida pela assessoria de imprensa do jogo.

Diego Matias
Além dos reviews, escrevo no Riffs & Solos e faço vídeos com meu irmão no canal SuperContra. Passa lá!