Análise Riders Republic (PlayStation 5)

Riders Republic expande a proposta de esportes radicais com uma experiência leve e divertida em mundo aberto!

tela título de Riders Republic

Nos últimos anos, a tem se mostrado uma desenvolvedora cheia de nuances. Ao mesmo tempo em que consegue realizar feitos incríveis como a revitalização das séries Assassin’s Creed, Rainbow Six e Ghost Recon, também é possível observar que o número de experiências que ela oferece vem aos poucos diminuindo, ou pelo menos, se tornando pouco variada. Em 2016, quando pudemos experimentar Steep, eu fiquei bastante otimista com a proposta de um jogo de esportes radicais, algo novo e que não envolve tiros ou qualquer tipo de violência. Na análise eu destaquei o seguinte:

Com um fator replay imenso e visual de tirar o fôlego, é ainda uma excelente pedida para pais que querem presentear seus filhos com um game sem violência e muita diversão.

Dito isso, é impossível não emprestar essa mesma síntese para Riders Republic. O novo jogo da expande a proposta de Steep, adicionando novos esportes e um mundo aberto a ser explorado pelo jogador.

descida de bicicleta na estrada em Riders Republic
As bicicletas são a estrela de Riders Republic

Riders Republic é um jogo esportes radicais em mundo aberto repleto de atividades a serem completadas em várias modalidades esportivas como ciclismo, snowboard, esqui na neve, voo de wingsuit, parapente e outros menos convencionais como corrida de asa-foguete e ciclismo motorizado. Com um visual colorido e vibrante, Riders Republic promete um universo de atividades compartilhadas por vários jogadores que podem escolher livremente qualquer atividade para participar. Mas será que a proposta funciona? A resposta é sim!

Logo no início, Riders Republic já deixa claro que não é apenas uma continuação de Steep, mas algo maior. Começamos em uma estação central chamada Riders Ridge (algo como “Cume dos Corredores”), onde aprendemos a localizar novas atividades pelo mapa, de acordo com o esporte escolhido, além de encontrar espaços para personalização do seu avatar, treino de manobras, gerenciamento de patrocinadores e, claro, encontrar jogadores para partidas multiplayer. Quando o longo (e cansativo) tutorial termina, estamos soltos no mundo para encontrar o que fazer e, preciso dizer, não faltam opções. As atividades são mostradas no mapa e podemos separá-las por tipos de esporte (depois, por modalidades dentro de um esporte).

voo de asa-foguete em Riders Republic
O céu é o limite!

A estrela do jogo são as corridas de bicicleta, que começam com as modalidades downhill e corrida em estrada e, conforme vamos completando os desafios propostos, ganhamos pontos, novos desafios, modalidades, roupas e equipamentos são desbloqueados, sistemática que é utilizada em todos os esportes.

Jogabilidade simples e que funciona

Escolhida a modalidade, chega a hora de brilhar na pista! Riders Republic oferece um gameplay simples, mas que dá conta de acomodar a variedade de esportes trazidas. Basicamente temos controles de aceleração e freio, um botão para impulso e um botão de retroceder no tempo. (para desfazer os acidentes e voltar para a pista) Além do básico, temos os botões responsáveis pelas manobras que podem ser executadas quando estamos no ar.

Wingsuit em Riders Republic
Caindo com estilo!

As acrobacias podem ser executadas tanto em modo “velocista” como no modo “mestre das manobras”. No primeiro, os botões do controle são usados para direcionar os giros verticais e horizontais (triângulo, inclina o equipamento para cima, permitindo um backflip, ao passo que quadrado, inclina para esquerda, em giros em 360 graus na horizontal, por exemplo), deixando o controle analógico direito livre para controle da câmera. Já no modo “mestre das manobras”, o controle analógico direito é utilizado para as manobras possibilitando a realização de movimentos mais complexos. Todas as manobras e truques podem ser aprendidos e treinados na academia de manobras, localizada em Riders Ridge e existem competições específicas somente para manobras, premiando a maior pontuação.

tela para escolha do modo de controle em Riders Republic
Os modos de controle podem ser alterados a qualquer momento.

Durante as provas a jogabilidade é bastante consistente e a sensação de velocidade é muito presente, sem quedas de frames, construindo de forma competente o espírito de esportes radicais do jogo. No entanto, podem acontecer situações desagradáveis como o reposicionamento errado do jogador após uma queda ou, na pior das situações, apertar equivocadamente o botão de retroceder ao invés do impulso (R1 e L1, respectivamente). Sinto que esses comandos poderiam estar em botões diferentes para evitar problemas, mas a atmosfera divertida e leve de Riders Republic não deixa esse problema pequeno estragar a festa.

Falando em festa, o visual do jogo é digno de elogios. Começando pelos belíssimos cenários do oeste norte-americano que podemos explorar com veículos variados que podem ser personalizados a qualquer momento com novas cores e também com a customização dos personagens, que vai desde a troca de uma camisa ou calça, chegando em trajes completos, com roupas divertidas e temáticas, tudo para manter o clima animado. Funciona demais, pois a cada nova partida somos surpreendidos com adversários usando as fantasias mais esdrúxulas e inesperadas.

tela de compra de itens cosméticos em Riders Republic
Não faltam opções de personalização do avatar.

Vale dizer que além das opções de compra de itens cosméticos, muitos desses itens podem ser desbloqueados pelo simples progresso no jogo, que garante pontos de experiência e dinheiro virtual para utilizar na loja.

Também o design de som e a trilha sonora são muito bons e cumprem o papel de criar a atmosfera divertida para as partidas, inclusive com uma rádio de músicas licenciadas, próprias para o estilo proposto no jogo. Uma pena que os diálogos não estejam em português, mas ao menos as legendas em pt-br estão disponíveis, assim como todos os textos do jogo encontram-se no idioma brasileiro.

Limite Vertical

Já vimos que os gráficos e o gameplay de Riders Republic são excelentes, mas o conjunto da obra, funciona? Eu diria que sim, mas com pequenas ressalvas. O ponto forte do jogo é a possibilidade de ingressar em atividades variadas a qualquer minuto. As telas de carregamento são muito rápidas (sequer há carregamento no deslocamento pelo mapa) e em poucos segundos podemos trocar de um esporte para outro. Também existem desafios inusitados como entrega de pizzas, descida pela montanha com bicicleta de sorvete e corrida de bike a jato e corridas em massa, com mais de 50 jogadores!

bicicleta motorizada
Alta tecnologia!

Mas eu fiquei com a impressão de que o jogo dá tanta liberdade aos jogadores que é difícil organizar as atividades para ter um pouco de controle sobre a nossa própria progressão. Algumas vezes fica difícil saber para qual nível de habilidade é essa ou aquela prova, pois não estão separadas por dificuldade. Claro que essa é a minha experiência e um jogador que tenha um perfil menos sistemático do que eu, certamente não irá enxergar essa peculiaridade como um defeito.

segunda volta em um time trial
Existem várias modalidades dentro de um mesmo esporte, como a corrida contra o tempo ou por maior pontuação, por exemplo.

Também existem algumas cenas pré-renderizadas logo no início do jogo que por algum motivo não estão em alta resolução. Algo que deve ser facilmente corrigido em uma atualização.No entanto, os pequenos problemas não são suficientes para tirar o brilho de um jogo que, por mais ambicioso que seja, entrega a proposta de divertir.

Eu vejo Riders Republic como um ótimo passo da na direção de ampliação do catálogo e das propostas abrangidas pelos seus jogos, diversificando uma lista de jogos que, para o bem e para o mal, fica cada vez mais parecida e unida pela a mesma filosofia de apresentação do mundo e gameplay. Por mais que Riders Republic também tenha um pouco dessa filosofia de design, a intenção de reunir jogadores em massa para disputas de esportes é bem interessante e pode atingir um público sedento por esse tipo de videogame, mais próximo dos clássicos, quando diversão e stress não frequentavam o mesmo ambiente.

Riders Republic foi desenvolvido e publicado pela e lançado em outubro/2021 para PC, Xbox One, X, e PlayStation 5.

A análise foi feita com base em uma cópia digital para PlayStation 5, gentilmente cedida pela assessoria de imprensa do jogo.

Tiago Matias Escobar
Metaleiro não uniformizado. Cerveja, pizza, games e viagens ocasionais.