Conversa de Sofá

Por Jandeilson de Sousa em 16/05/2017

Análise Dragon Quest Heroes II

Um clássico musou, Dragon Quest Heroes II lhe dá bons momentos de pancadaria contra hordas de inimigos e mesmo às vezes sendo repetitivo, diverte os fãs do gênero.

Embora não tenha jogado Dragon Quest Heroes, posso afirmar que Dragon Quest Heroes II mantém a fórmula do seu antecessor. O novo jogo não se esforça para trazer grandes diferencias, porém se preocupa em enfatizar ainda mais seu conceito típico de musou.

Dragon Quest Heroes II conta com uma história focada nas aventuras de dois primos (Teresa e Lazarel) que acabam envolvidos em conflitos misteriosos e repentinos entre todos os 7 reinos do universo do jogo. A função dos acontecimentos basicamente é dar algum sentido para a pancadaria desenfreada, logo quem conhece musou sabe bem do que estou falando.

Enquanto está lendo essa análise a porrada tá rolando intensamente, e você provavelmente já pegou quase todo o jeito da coisa. A mecânica de Dragon Quest Heroes II é assim, básica. Apertando botões seus golpes são deferidos no que estiver pela frente. Se bater aquela preguiça, dar até para botar os combos no piloto automático.

São criaturas de todos os sabores para você se deliciar com a aniquilação em massa, que aliás, é onde tá a diversão da coisa. Aniquilar quantias consideráveis de criaturas é algo libertador! Os golpes sendo deferidos são um show à parte, e todo o processo, ainda que monótono, tem seus artifícios.

Dragon Quest Heroes II: Os slimes tremem na base com uma rajada fria dessas.

Os slimes tremem na base com uma rajada fria dessas.

Em poucas horas de jogo a maioria dos heróis principais da história estarão sob seus cuidados para que você possa utilizá-los nos confrontos. Todos os heróis possuem habilidades únicas, porém seu funcionamento parte do mesmo princípio. Além dos ataques comuns, tem os especiais (diferentes de acordo com o herói escolhido). O conjunto de ataques de cada herói é bem diversificado, mas o resultado é muito semelhante. O fator repetitivo dos combates é inevitável, mas por alguma razão você não da a mínima e permanece dentro do ciclo.

A jogabilidade pode até ser rasa, mas há muita coisa para enriquecer a sua experiência. Ao começar pelos elementos de RPG, então além de evoluir seus personagens, possibilitando melhorias com diversas habilidades novas que dão frescor para as pancadarias seguintes. O mundo do jogo é vasto e recheado de recompensas para os exploradores de plantão. Muita coisa é customizável, portanto da para brincar com muitas possibilidades. No geral, Dragon Quest Heroes II não peca no quesito conteúdo, oferecendo de tudo um pouco, dentro dos seus parâmetros.

Dragon Quest Heroes II: Muitos confrontos esperam por você!

Muitos confrontos esperam por você!

Você que já jogou algum jogo da série Dragon Quest com certeza vai se maravilhar com Heroes II, já que há bastantes elementos nostálgicos. A trilha sonora, por exemplo, traz de volta alguns sons memoráveis, enquanto os visuais estilizados que remetem anime, muito por causa do mestre Akira Toriyama, continuam encantadores.

Dragon Quest Heroes II não chega a trazer algo realmente novo, mas como musou é um jogo acertado, se sustentando com elementos que funcionam e principalmente devido ao apelo à Dragon Quest, uma série tão querida.

Dragon Quest Heroes II foi lançado no PC, PlayStation 3, PlayStation 4, PlayStation Vita e Nintendo Switch. Análise feita a partir de uma cópia da versão PlayStation 4 cedida pela assessoria de imprensa da Square Enix.

Um cara de vinte e poucos anos apaixonado pelas coisas pequenas da vida. É editor no Joguindie, seu maior xodó. Ascendente escritor, desenvolvedor e empreendedor. Sua vida é repleta de coisas para fazer, pouco tempo para si, muito trabalho duro e determinação. Gosta de jogar, ouvir músicas, ler quadrinhos, assistir filmes e animes, comer salgadinho, beber refrigerante de limão, ficar em casa, e tantas outras coisas simples, mas valiosas para sua vida.
DEIXE UM COMENTÁRIO
ÚLTIMAS ANÁLISES
  • Análise The Swords Of Ditto

    Com boas referências a Zelda, gráficos “bonitinhos” e elementos de RPG “compactos”, The Swords Of Ditto entrega uma experiência encantadora e divertida na luta contra uma bruxa maligna.

  • Análise PlayerUnknown’s Battleground Mobile

    Depois do sucesso nos PCs, chegou a hora de testar e atestar se PUBG também entrega a melhor experiência do battle royale nos dispositivos móveis, confira nossa análise de PUBG Mobile.

  • Análise Ghost Recon Wildlands

    Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands foi lançado em março desse ano e é um jogo de tiro táctico em terceira pessoa em mundo aberto, no jogo somos levados à província central na Bolívia como parte de uma equipe secreta para combater o Cartel Boliviano Santa Blanca.

  • Análise 80’s Overdrive

    Cansado de simuladores de corrida? Cansado da briga entre Forza e Gran Turismo? Que tal uma genuína experiência arcade com pixel art? Isso é 80’s Overdrive!

  • SOBRE
    O Conversa de Sofá é um site com notícias, dicas e tutoriais sobre jogos, análises e novidades sobre os últimos lançamentos e cobertura de eventos.
    Asantee Games
    Ethanon Engine
    REDES SOCIAIS