Conversa de Sofá

Por Flávio Ricardo em 17/04/2015

“As pessoas tem o direito de gostar ou não”, argumenta Pitty sobre a dublagem de Mortal Kombat X

A cantora Pitty resolve falar sobre as críticas em torno da dublagem do jogo. Lançado nessa terça-feira e totalmente localizado em nosso idioma, a dublagem em geral mas principalmente a da personagem Cassie Cage foram bastante criticadas.

Você deve se lembrar de quando escrevi sobre Roger e Pitty terem sido convidados a dublar jogos AAA e a polêmica criada na época. Pois é, a maioria estava certo, o resultado foi no mínimo “sem-vergonha”, um (no caso dois) trabalho mal feito e amador.

Reforço a ideia de que não devemos culpar nem Roger nem Pitty diretamente pelo resultado de Battlefield Hardline e Mortal Kombat X, respectivamente. Eles foram convidados, estavam fazendo um trabalho, receberam por isso e com certeza não negariam. Roger e Pitty tem sim sua responsabilidade no todo, como disse Nelson Machado em um vídeo onde ele fala sobre celebridades dublando filmes de forma geral, não há como esconder ou negar a falta de talento do indivíduo na hora de atuar, na hora de encarnar o personagem, porém, agora seguindo a minha opnião, culpa maior tem as produtoras de deixar algo assim passar.

A Warner errou feio, pois mostrou não ter nenhum parâmetro de qualidade. Uma vez escolhidos os dubladores, por piores que eles sejam, é simples: não ficou bom, refaz até que esteja bom. Não importa quem seja, famoso ou não trata-se de um trabalho profissional, um produto que será vendido e no caso do Brasil, a preços absurdos. Antes mesmo que algo assim fosse necessário, a equipe técnica da Warner deveria acompanhar de perto o trabalho e ao menor indício de incapacidade do dublador, sugerir mudanças, tentar orientar, fazer o possível para elevar a qualidade do material final.

Bom, águas passadas ou não, ressentimentos a parte, ao contrário de Roger que discutiu com diversos jogadores através das redes sociais, a cantora Pitty comentou o assunto de forma educada e bem coerente em entrevista na UOL Jogos. Ela comenta e entende que as pessoas tem o direito de não gostar do resultado, mas ressalta que é necessário que essas mesmas pessoas enxerguem a diferença entre a dedicação que ela teve no trabalho (que segundo ela foi total), e as diversas etapas existentes no trabalho de dublagem, ela foca na ideia de que a responsabilidade pelo texto, direção e edição não eram dela.

O tom de Pitty no vídeo foi descontente e irônico em alguns momentos, é claro, com tantas críticas não era de se esperar menos. Mas pelo menos, ao contrário do que costuma acontecer, ela não deixou o assunto a esmo, certa ou errada, ela entende o valor do mercado de jogos e o crescimento desse nicho no Brasil, ou pelo menos finge bem, o que imagino não ser o caso uma vez que atuar não é seu forte.

Esse episódio serve para nos mostrar o quão exigentes devemos ser e sim, reclamar das produtoras quando coisas assim acontecem, a Sony e a Microsoft vem acertando muito nesse aspecto e trazendo jogos com uma dublagem impecável, o excelente trabalho da Rockstar nas legendas de GTA V também merece ser notado, já algumas outras, é deprimente. Vale menção honrosa à Ubisoft que vem fazendo um esforço admirável nesse sentido, mas falhando em outros.

[Atualização 17/04/15] Adicionei abaixo alguns outros textos sobre o assunto:

É um sul-mato-grossense de 20 e poucos anos, que começou no mundo dos games jogando Master System e Mega Drive, quando então conheceu o melhor console já criado neste mundo: o Super Nintendo. Já foi dono dos "clássicos" PSOne e PS2 e hoje passa horas disputando partidas online de Gears of War 3 no Xbox 360.
DEIXE UM COMENTÁRIO
ÚLTIMAS ANÁLISES
  • Análise Playerunknown’s Battlegrounds (PlayStation 4)

    O jogo que popularizou o gênero Battle Royale finalmente foi lançado no console da Sony para a alegria dos jogadores da plataforma PlayStation (e da Bluehole, que agora atinge a maior base instalada dessa geração). A criança prodígio do Brendan Greene chegou a tempo ou tarde demais?

  • Análise Crashlands (Nintendo Switch)

    Originalmente lançado para celulares e posteriormente para PC, a versão de Switch desse RPG de ação em tempo real foi desenvolvida para ser controlado em telas de toque e com controle convencional. O que é perfeito para o console híbrido da Nintendo.

  • Análise H1Z1 (PlayStation 4)

    Na recente tendência dos jogos Battle Royale, H1Z1 estreia no Playstation 4 com a pretensão ambiciosa de bater de frente com Fortnite, o gigantesco sucesso da Epic Games.

  • Análise Bloodstained: Curse of The Moon

    Inti Creates teve a tarefa de entregar a prévia do Bloodstained Ritual of The Night e criou um perfeito sucessor do Castlevania original de 1986.

  • SOBRE
    O Conversa de Sofá é um site com notícias, dicas e tutoriais sobre jogos, análises e novidades sobre os últimos lançamentos e cobertura de eventos.
    Asantee Games
    Ethanon Engine
    REDES SOCIAIS