Análise Call Of Duty Modern Warfare 2 – Campaign Remastered (PlayStation 4)

O que esperar da remasterização de uma das mais consagradas campanhas em jogos de FPS já feitas? Call Of Duty Modern Warfare 2 Campaign Remastered traz para a geração atual todas as qualidades e controvérsias do jogo original. Imperdível para fãs e para aqueles que ainda não jogaram.

O mundo era outro em novembro de 2009. A “Internet 2.0” ainda era uma realidade, com blogs a todo vapor. Das redes sociais que conhecemos hoje, Facebook e Twitter já existiam, mas nada de Instagram ou Snapchat, que surgiriam, respectivamente, em 2010 e 2011. Não éramos reféns de algoritmos maliciosos e possivelmente ainda olhávamos nossa página do Orkut todos os dias. Na indústria de videogames, eram lançados os primeiros jogos das franquias Batman Arkham, e da série Souls. Há menos de 10 anos havia ocorrido o ataque às torres do World Trade Center em Nova Iorque, deflagrando a política americana de Guerra ao Terror e a Guerra do Iraque, iniciada em 2003. A caçada ao então homem mais perigoso do mundo, Osama Bin Laden, terminaria apenas dali a 2 anos, em 2011.

Call Of Duty Modern Warfare 2
Não existe glamour na guerra.

Com conflitos armados novamente protagonizados pelos Estados Unidos, a série abandonou a temática da Segunda Guerra Mundial, apresentando um contexto geopolítico contemporâneo em Call Of Duty 4: . A sequência, Modern Warfare 2, cuja foi remasterizada em 2020, é um dos jogos mais celebrados da indústria; um verdadeiro marco para narrativas em First Person Shooters (não sem sua dose cavalar de controvérsias). Mas será que a remasterização do jogo e seu lançamento 11 anos depois, pode trazer o mesmo impacto? Vale a pena revisitar ou jogar pela primeira vez esse clássico?

Call Of Duty Modern Warfare 2
O Rio de Janeiro continua lindo?

Uma remasterização de respeito

Comecemos pelo começo: tecnicamente, o jogo é um primor. Existem poucos detalhes negativos, como as texturas e modelos dos personagens que, por razões óbvias, não atingem o nível exibido atualmente na indústria. Visualmente, com exceção desse detalhe, Modern Warfare 2 Campaign Remastered, passa por um jogo lançado em 2020, sobretudo pelo visual deslumbrante dos cenários que enchem os olhos a cada nova missão. A é excelente, equilibrando tensão e grandiosidade que acompanham cada façanha dos personagens.

No entanto, o design de som se mostra um pouco atrapalhado, sendo um pouco dificultoso de entender as falas dos personagens durante a campanha em meio à frenética imposta (claro, sem que tenha sido feita qualquer alteração na mixagem de som do jogo). Isso porque a quantidade massiva de informações na tela entra em conflito com as informações passadas por áudio, quer seja nas instruções antes das missões ou mesmo no transcorrer delas, quando as informações via rádio não param a fim de que a sensação de urgência seja passada ao jogador. No entanto, embora a quantidade de informação visual do jogo seja imensa, os itens na tela são bastante econômicos, limitando-se à arma e munição, itens disponíveis e uma pequena bússola. Mapa e objetivos podem ser acessados pelo menu de pausa.

Call Of Duty Modern Warfare 2 EUA
Finalmente a guerra chega ao território dos EUA.

Em termos de gameplay, também não se vê um distanciamento tão grande do que temos atualmente. Afinal, First Person Shooters estão no mercado desde a década de 1990 e a evolução de mecânicas no gênero não costuma ser tão frequente. Eu chamaria atenção para um aspecto muito interessante que são os trechos de invasão (breaching) em câmera lenta.
Uma mecânica simples mas muito efetiva em passar a grande técnica e especialização militar dos protagonistas. Fora isso, temos mecânicas tradicionais como regeneração de vida, itens táticos, como granadas de luz e de fragmentação e algumas armas possuem um modo de tiro secundário (infelizmente, não tem pulo duplo). O lançamento de granadas é um pouco lento no jogo, deixando o personagem vulnerário por segundos preciosos, não raramente levando à derrota. Também me pareceu um pouco complicado de distinguir aliados de inimigos, já que Modern Warfare 2 não utiliza marcações de personagens na tela. Um preço a ser pago por uma maior imersão no universo apresentado pelo jogo.

Call Of Duty Modern Warfare 2 Breaching
Não existe espaço para erros!

Campanha

Modern Warfare 2 Campaign possui 18 missões, com uma duração média de 08 horas, sem qualquer componente multiplayer. A campanha é bastante celebrada e foi alvo de grande controvérsia desde seu lançamento em 2009, em virtude da missão “No Russian”, em que somos convidados a tomar parte em um ataque terrorista no aeroporto de Moscou.

Eu nunca havia jogado Modern Warfare 2, fiquei muito satisfeito por ter a oportunidade de viver um dos os acontecimentos mais relevantes da história recente dos videogames, para que eu pudesse tirar minhas próprias conclusões sobre a controvérsia. De maneira geral, a campanha de Modern Warfare 2 é excelente, mantendo o jogador sempre engajado nos acontecimentos, seja em solo americano ou acompanhando a Força Tarefa 141, em várias partes do mundo, com um heroísmo que acaba se contrastando com o preço pago para justificá-lo. Não por acaso a cada morte vemos trechos de discursos sobre a guerra, exaltando ou execrando-a, construindo uma atmosfera de glorificação carregada, incômoda e pesarosa dos conflitos armados.

Call Of Duty Modern Warfare 2 Cutscene
Os trechos cinematográficos de MW2 são maravilhosos!

E verdade seja dita, a campanha Modern Warfare 2 se sustentaria sem que fosse necessária a inclusão da agência do jogador em “No Russian”. Igualmente controversa, pareceu-me a missão em uma comunidade do Rio de Janeiro, em que soldados americanos deixam uma trilha de corpos para trás (bandidos, claro), para conseguir pôr as mãos em um fornecedor de armas. Em todo caso, não se faz uma omelete sem quebrar alguns ovos e jogos com temática militar e política internacional sempre irão esbarrar em interesses de Estados soberanos que não sejam a Rússia (vide as polêmicas envolvendo a francesa Ubisoft e o governo da Bolívia após o lançamento de Ghost Recon Wildlands). Enfim, para criar um cenário de conflito internacional, algum país tem que ser antagonista e, spoilers à parte, Modern Warfare 2 faz uma escolha muito ousada com o plot twist do final.

Galeria CoD Modern Warfare 2 White House
Em Call of Duty Modern Warfare 2 a coisa fica feia de verdade.

A abordagem cinematográfica é maravilhosa, me parecendo totalmente cabível aqui uma comparação com os jogos da franquia , também muito famosa por incluir trechos com cutscenes integradas ao gameplay. A campanha Modern Warfare 2 não dá muita liberdade para o jogador explorar cenários, afinal o foco é a história que está sendo contada. Inclusive, o ponto forte do jogo são os personagens, sendo estes o grande trunfo dessa campanha consagrada. Modern Warfare 2 traz uma ação primorosamente orquestrada e personagens carismáticos (inclusive um vilão memorável) que completam um pacote de ótimos aspectos técnicos e artísticos, resultando em um jogo imperdível para todos amam videogames.

Call Of Duty Modern Warfare 2 Sheperd
Another day, another death.

A campanha de Call Of Duty Modern Warfare 2 é um marco da indústria AAA, sendo impossível jogá-la e se manter indiferente. Um produto de outra época, em que atos heroicos e vilanescos ainda eram reconhecidos como tal e absurdos e subversões eram reconhecidos a partir de uma bússola moral coletiva que hoje parece não existir mais. Se fosse lançado em 2020, dependendo dos interesses envolvidos e da narrativa veiculada, talvez “No Russian” fosse celebrada, em um movimento liderado por robôs nas redes sociais.

Call Of Duty Modern Warfare 2 – Campaing Remastered está temporariamente disponível apenas para e será lançado para e PC Master Race em 30 de abril de 2020.

A análise foi feita com base em uma cópia digital gentilmente cedida pela assessoria de imprensa da Activision.

Tiago Matias Escobar
Metaleiro não uniformizado. Cerveja, pizza, games e viagens ocasionais.