Análise Rainbow Six Extraction (PS4 e PS5)

Rainbow Six Extraction traz de volta o gameplay de PvE de cooperação, misturando ação tática, alienígenas e um desafio na medida certa.

Se por algum acaso você está um pouco saturado de jogos multiplayer competitivo, Rainbow Six Extraction talvez seja o jogo que você procura! Após vários anos, a franquia retorna para a formula de combate cooperativo dos primeiros jogos.

Quem esteve na frente de um PC ou teve o original no final dos anos 1990, deve se lembrar de como eram os jogos da série Rainbow Six: cenários políticos (baseados nos escritos do autor norte-americano Tom Clancy) com mecânicas complexas de simulação de combate em ambientes fechados e uma extensa campanha que contava a elevada dificuldade como inimigo mais implacável. Com o passar dos anos, a série transformou-se com jogos de tiro mais acessíveis com dificuldade e abordagem tática diluídos para ampliar a base de jogadores. Funcionou tanto que a série parece ter encontrado o equilíbrio tão desejado com Rainbow Six Siege, que alia uma considerável curva de dificuldade com gameplay acessível.

Seis anos após o lançamento de Rainbow Six Siege, a Ubisoft traz ao mercado um derivado do jogo, expandindo o evento chamado “Outbreak” que deu as caras em Siege e apresentou o cenário de luta armada contra uma raça de alienígenas em modo cooperativo. Rainbow Six Extraction é um jogo de tiro em primeira pessoa, que pode ser jogado sozinho ou em grupo (somente online) em que os jogadores devem cooperar para cumprir objetivos aleatórios nas várias fases do jogo, lutando contra a raça de alienígenas conhecida como “Arqueanos”.

Trio de jogadores em Rainbow Six Extraction

Excelente Tática

Rainbow Six Extraction não perde muito tempo ao situar o jogador no cenário de catástrofe: a raça alienígena chamada de “Arqueanos” surgiu nos e os operadores do time Rainbow formaram a equipe REACT, sob a liderança de Ash e Thermite para responder à ameaça. O jogo começa com alguns agentes à nossa disposição e novos personagens são desbloqueados à medida em que avançamos e subimos de nível, sendo que no lançamento não existem personagens desbloqueáveis com dinheiro ou pontos do jogo, como ocorre com R6 Siege. Com exceção de itens cosméticos, tudo aqui é destravado com a simples progressão do jogador. Excelente! Inclusive, além do avanço global da equipe, cada agente possui uma progressão própria, conforme são utilizados e contribuem pro sucesso das missões, desbloqueando novas aparências e armas. Já os itens táticos como granadas afins ficam disponíveis a todos os agentes, uma vez desbloqueados.

Equipamentos táticos em Rainbow Six Extraction
Os equipamentos são desbloqueados para todos os personagens.

A ação acontece em fases divididas em três áreas. Em cada uma delas devemos completar um objetivo, capturando um alienígena, marcando pontos estratégicos, defendendo uma posição ou ainda resgatando agentes desaparecidos em combate. Durante as fases devemos antes de tudo, encontrar os objetivos e decidir qual a melhor abordagem para a ação e após completar, é necessário decidir se vale a pena seguir adiante para a próxima fase da missão ou extrair os agentes sem receber mais danos. É aqui que Rainbow Six Extraction tem seu ponto alto, pois encontrar o local do objetivo, completá-lo e seguir para a próxima etapa da fase não é das tarefas mais fáceis. Embora os alienígenas Arqueanos sejam pouco resistentes e morram com poucos tiros (ou apenas um, se direcionado ao ponto fraco deles), são capazes de rapidamente atropelar todos os jogadores devido à superioridade numérica e ataques devastadores. Nem por isso entrar nas fases como um jogador de Call Of Duty vai ajudar, pois o jogo exige um certo equilíbrio entre a furtividade e a ação, sempre tendo em mente uma estratégia que ajude a chegar no final da fase com o máximo de vida possível, pois uma vez que o agente é perdido em ação, você vai precisar realizar uma operação de salvamento para poder resgatá-lo.

Rainbow Six Extraction Agente DEA
Os agentes desaparecidos em missão não podem ser utilizados enquanto não resgatados

Essa particularidade coloca o gameplay de Rainbow Six Extraction em um lugar especial, pois gera tensão suficiente para turbinar a dificuldade e a satisfação de terminar cada missão o mais ileso possível, já que mesmo se o agente não for capturado, lesões muito graves também são suficientes para deixá-lo indisponível (no final de cada partida, a proporção de saúde do personagem é computada para a regeneração dos agentes feridos). Essa dinâmica também contribui para forçar um rodízio entre os personagens, pois subir de nível somente um deles é uma estratégia perigosa acaso ele precise ser resgatado.

Agente preso em Rainbow Six Extraction
Agentes perdidos durante as fases não podem ser utilizados antes de serem resgatados.

Porém nos dias que se seguiram ao lançamento do jogo, encontrar uma equipe com jogadores dispostos a completar os objetivos de forma tranquila não foi nada fácil. Se jogar sozinho é trabalhoso, jogar com desconhecidos descompromissados também não ajuda muito então a melhor estratégia é encontrar os amigos para ultrapassar os desafios de Rainbow Six Extraction, pois a comunicação é essencial para traçar planos e estratégias, alcançando o sucesso nas fases. Nesse quesito, os jogadores de XBOX saem na frente, pois o jogo está disponível no GamePass desde o lançamento. No entanto, existe crossplay entre as plataformas concorrentes e podemos localizar os amigos através do aplicativo Ubisoft Connect de maneira bem simples e rápida.

Equipe de três jogadores em Rainbow Six Extraction
Escolher um bom time é essencial para cumprir as missões em Rainbow Six Extraction

Faltou Um Pouco de Técnica

Os jogos da Ubisoft geralmente possuem um bom acabamento técnico, com bons gráficos e som (inclusive com áudio e legendas totalmente em português). Em Rainbow Six Extraction não é diferente, sobretudo na qualidade do design de som, um ponto sempre acima da média nos jogos com o selo Tom Clancy. A ambientação sonora, com música para criar tensão nos jogadores e até mesmo o áudio 3D para apontar a localização de objetivos e ameaças, tudo é apresentado com muita qualidade, sendo um prazer à parte desfrutar desse trabalho bem feito utilizando fones de ouvido/headsets.

Contudo, embora os gráficos sejam bons, não mudam em nada o que já era apresentado em Rainbow Six Siege, que foi lançado há 06 anos atrás. Não custava apresentar uma atualização do motor gráfico ou mesmo novos efeitos visuais mais condizentes com a tecnologia dos consoles atuais. Talvez essa seja a receita para que o jogo rode bem no 4, onde não observei nada tão aquém do que exibido no PS5, com a ressalva de uma taxa de quadros menor que acaba sendo um incômodo irrelevante. Outros aspectos interessante a serem ressaltado é a funcionalidade dos gatilhos adaptáveis do no PS5, o que pode deixar alguns jogadores incomodados no início e o salvamento em nuvem nos servidores da Ubisoft que permite continuar o progresso do jogo utilizando tanto o PS4 como o PS5.

Delegacia em Rainbow Six Extraction
Uma festa de boas-vindas dentro da delegacia. Eu já vi isso antes…

Em relação à abordagem artística, Rainbow Six Extraction poderia ser um pouco mais ousado e trazer criaturas mais grotescas a fim de criar uma genuína atmosfera de terror (o que eu acredito que pode acontecer em eventos futuros dentro do jogo). Além do visual um pouco higienizado demais (ou sujo de menos), o jogo não se esforça muito para criar um ambiente que possa contar melhor a história do que aconteceu nesses lugares, limitando a colocar pistas visuais em partes do cenário, mas sem construir algo coeso com isso. Na verdade, toda a história e pano de fundo do que acontece em Rainbow Six Extraction é exposto por meio de algumas cenas e entradas nos menus, de uma maneira muito enfadonha, tão agradável quanto ter que estudar para uma prova. Pelo menos, esse não é a principal proposta do jogo e a dinâmica de ação e estratégia proposta não é prejudicada pela limitação narrativa.

Alienígena Arqueano em Rainbow Six Extraction
Ô bicho feio…

No total, o jogo possui 12 fases divididas em 04 localidades diferentes, com 03 fases cada uma delas e considerando a acentuada dificuldade já no nível mais básico, deve oferecer umas boas horas de diversão aos jogadores. Claro que existe o risco de o jogo ficar repetitivo, por isso jogar com amigos é tão importante. Aliás, a Ubisoft traz novamente o passe do amigo, que já era presente em Breakpoint, sendo que aquele que comprar o jogo poderá convidar até 02 amigos para jogar livremente durante 14 dias. Acredito que essa seja a melhor forma de curtir tudo que Rainbow Six Extraction tem para oferecer.

Conclusão

Estatua da LIberdade Rainbow Six Extraction
Rainbow Six Extraction até tenta, mas a atmosfera de tensão vem do gameplay e não da ambientação.

Afinal, vale a pena jogar Rainbow Six Extraction? Alguns diriam “depende”, mas eu acredito que vale a pena, sim. Apesar da monotonia visual e artística, o gameplay do jogo é primoroso, pois pega aquilo que já está exaustivamente refinado por Rainbow Six Siege e introduz uma dinâmica interessantíssima de infiltração, ação tática e um nível de dificuldade suficientemente alto para criar uma competente atmosfera de tensão e ditar o ritmo dos jogadores. A sensação de satisfação ao terminar uma fase juntamente com os amigos ou mesmo a frustração de ver diante dos olhos a derrota iminente após ser atropelado pela quantidade de inimigos na tela, cria momentos que há um bom tempo eu não experimentava em jogo algum. Claro que se você não é fã de jogos cooperativos e prefere a competição, o jogo da série principal, Rainbow Six Siege está disponível, assim como outros jogos de tiro frenéticos, mas aqueles que gostam de ação tática, horror e sobrevivência, poderão saciar a fome com Rainbow Six Extraction.

Rainbow Six Extraction foi desenvolvido e publicado pela Ubisoft, estando disponível para PS4, PS5, One, Xbox Series X/S e PC, estando disponível no Xbox GamePass desde o lançamento.

A análise foi realizada com base em uma cópia digital de PS4 e PS5 fornecida pela assessoria de imprensa do jogo.

Tiago Matias Escobar
Metaleiro não uniformizado. Cerveja, pizza, games e viagens ocasionais.