Análise: Stories Untold (Nintendo Switch)

Stories Untold reúne contos de suspense e terror, valendo-se de formatos consagrados pela televisão. Uma experiência nostálgica e gratificante, embora também simples e curta. 

Stories Untold tela título

“Você dirige sozinho por uma estrada em meio a uma floresta. É outono e o tom castanho das folhas caídas é acentuado pela luz do sol vinda de um céu claro. Você encosta o carro e caminha em direção a uma antiga cabana há algumas dezenas de metros mata adentro. A casa está abandonada. Sem imaginar o que te espera, você entra…”.

Escolha o seu destino.

Aposto que você já viu pelo menos uma meia dúzia de filmes com esse clima, não é mesmo? Interior dos Estados Unidos, uma casa abandonada, memórias ocultas de uma família sendo aos poucos descobertas. É exatamente essa a familiaridade com contos de e que Stories Untold traz.

Em formato episódico, o jogo usa de todos os artifícios possíveis para nos deixar imersos no universo que mistura horror com ficção científica, cuidadosamente construído pelos desenvolvedores. Inclusive a transição entre os episódios é maravilhosa, em formato próprio de televisão, algo parecido com o que havia feito em Metal Gear Solid V, mas muito melhor. Mas tal como uma solitária unidade de paçoca, Stories Untold é maravilhoso enquanto dura, mas dura pouco. São apenas 04 episódios, todos bem curtinhos e objetivos, o que acaba maximizando o efeito da experiência, pois ao final do último episódio ainda temos bem vivo na memória o pavor causado pela primeira história.

Mais assustador que planilha do Excel!

Desenvolvido pelo estúdio No Code e publicado pela , Stories Untold é um jogo simples. Começa como um em texto, típico dos jogos de dos e passa pelos gêneros de point-and-click e simulador de caminhada em primeira pessoa. Cada episódio traz uma história que começa e depende dos comandos do jogador para avançar, seja selecionando as palavras corretas em um computador ou mesmo desvendando números criptografados em código morse (!). A solução de puzzles é a mecânica principal do jogo.

Formado no Instituto Universal Brasileiro!

O grande destaque fica para a ambientação do jogo, sempre utilizando de temas e tecnologias da década de 1980 de modo crível. A armadilha clássica da nostalgia é armada e para aqueles que cresceram nos anos seguintes, funciona que é uma beleza! Os trechos com vozes são ótimos e o jogo possui um designde som incrível. Os gráficos também não deixam a desejar e, dentro da proposta desejada, com imagens quase estáticas e algumas transições entre elas (com exceção de um trecho em que jogamos em primeira pessoa), apresentam um belo jogo.

Um pouco de ar fresco!

Mas nem tudo é John Carpenter e . Stories Untold tem poucos defeitos, mas que conseguem comprometer um pouco o conjunto da obra: as legendas poderiam ser um pouco maiores e (esse sim, um banho de água fria) não há opção de textos em .

Para um jogo que é 100% baseado em leitura, a barreira da língua estrangeira certamente impede o amplo acesso a esta obra. Pelo menos, é algo que pode ser corrigido em curto ou médio prazo.

Enfim, Stories Untold é uma ótima surpresa. Se você gosta de filmes de terror clássicos e possui aquele pé na nostalgia dos anos 1980, vai gostar muito. Mas não se iluda: é um jogo curto, baseado em texto e cliques e nada mais. Ainda assim, é uma excelente experiência.

Stories Untold está disponível para e PC Master Race. A análise foi feita a partir de uma cópia de Switch cedida pela Devolver Digital.

Tiago Matias Escobar
Metaleiro não uniformizado. Cerveja, pizza, games e viagens ocasionais.