Análise Yu-Gi-Oh! Legacy of the Duelist: Link Evolution (PC)

Será que vale a pena comprar o novo Yu-Gi-Oh? Confira aqui a análise do jogo de cartas da Konami na sua versão da Steam.

Legacy of the Duelist: Link Evolution, na minha opinião não pode ser considerado um jogo novo, e sim uma atualização de outros jogos lançados anos atrás. Este game “antigo”, que era chamado somente de Legacy of the Duelist têm todas sagas completas de da época, que eram: Duel Monsters, GX, 5D’s e Zexal,  e somente um duelo tutorial do Arc-V pois tinha sido recém saído. Diversas DLCs pagas foram feitas para o jogo com novos duelos, cartas e animações, aumentando mais o arsenal do mesmo, inclusive complementando a saga Arc-V.

Na verdade, , já foi lançado em 2019 para , ele era uma versão que incluía tudo da versão antiga mais as DLCs pagas e agora com a adição do novo Yu-Gi-Oh! Vrains, que traz a invocação Link.

No dia 24 de Março de 2020, a lança este mesmo Link Evolution com algumas novidades, para , e como um novo jogo. Quem possui o Legacy of the Duelist para uma das plataformas citadas será obrigado a comprar o jogo novamente com full price, exceto para quem possui a versão de Switch, que será atualizada gratuitamente por já ser Link Evolution.

Campanha

Sobre o jogo, na campanha do , não há nada demais, não pense que vai sair andando por cenários e coletando cartas como no Tag Force, você pode somente duelar. Você escolhe a saga que vai querer começar e pode duelar com praticamente todos os personagens que tem alguma relevância na história do , e utilizar todas as invocações, desde Fusão até Link. Todas as sagas têm o primeiro duelo como tutorial, já premeditado que você irá ganhar, assim ensinando a como jogar, por exemplo, no primeiro duelo de 5D’s, a máquina te obriga a fazer exatamente o que ela quer, onde você acaba aprendendo sobre a invocação em questão, que é Synchro, liberando o segundo duelo da saga. Os duelos tem 8 mil pontos de vida, seguindo a regras do TCG.

Você não tem o seu próprio duelista, o jogador assume um personagem da série em cada duelo. No caso do primeiro duelo do Yu-Gi-Oh! Duel Monsters, jogamos como Yugi para derrotarmos o Kaiba. Um ponto diferente de todos os jogos de Yu-Gi-Oh!, é que podemos escolher entre usar o nosso deck, o qual ganhamos cartas, tanto vencendo duelos ou comprando boosters, ou então usar o deck da história, que no caso que citei, seria utilizar o deck do Yugi, com o Exódia. O que acaba sendo mais legal, se por acaso o seu deck mesmo estiver muito bom, aí com o deck de história fica mais competitivo o duelo. Também em Single Player, existe o Duelist Challenges, onde podemos enfrentar os duelistas que já derrotamos na campanha, a diferença é que eles estão usando decks mais fortes e consistentes. Nestes desafios é mais fácil de conseguir cartas melhores e mais específicas do oponente em questão. Há tutoriais ensinando a fazer várias jogadas e para o aprendizado das invocações, o que pode ajudar quem não entende muito bem , ou até os mais novos na saga Yu-Gi-Oh!.

O modo multiplayer do jogo conta com duelos amigáveis e rankeados, onde você poderá utilizar os seus decks e detonar os oponentes. Acabei fazendo alguns jogos na versão de Steam e funcionou perfeitamente, o problema é a falta de jogadores por enquanto. Podem ser vistos em relação ao rankeado, o ranking geral, o entre amigos e o seu próprio, o que conta nisso tudo, é o número de vitórias do jogador, quanto mais, melhor a posição no ranking.

Em Battle Pack, há os modos Sealed Play e Draft Play, no primeiro, você abre um dos battle packs disponíveis (um booster) com o dinheiro do jogo e deve jogar utilizando somente esse deck aleatório, de 40 à 60 cartas, que acabou de ganhar, já no Draft, é um pouco diferente, você também escolhe um dos battle packs disponíveis, mas quando abre, há a possibilidade de escolher as cartas que te interessem, o resto você descarta, aí aparece mais 15 cartas e assim por diante, até chegar à 40 cartas no mínimo. O objetivo é jogar 5 duelos para ganhar no jogo “original” essas cartas que você adquiriu no battle pack.

Card Shop e Deck Edit

No jogo é possível fazer compras no Card Shop com o dinheiro do jogo, adquirido duelando em todos os modos. Boosters dos personagens ficam disponíveis após o personagem em questão ser derrotado no modo campanha. Cada booster vem com 8 cartas aleatórias e que tenham a ver com a saga do personagem e o deck do mesmo. Por exemplo, nos boosters do Gongenzaka, você pode receber cartas SuperHeavy, o arquétipo do personagem, e também cartas Pendulum, da saga em qual ele faz parte. Em Deck Edit, você pode fazer todas as alterações que quiser no seu deck, colocar suas cartas mágicas, armadilhas, montar o side e o extra deck, criar a melhor estratégia e entender melhor os efeitos das cartas. O deck deve ter entre 40 e 60 cartas, o side e o extra até 15 cartas.

Yu-Gi-Oh! Legacy of the Duelist: Link Evolution é o único jogo atualmente que está quase igual ao TCG de Yu-Gi-Oh!, são mais de 10 mil cartas disponíveis e em relação às regras, o jogo está na MR4, enquanto o TCG está na Master Rules 2020, ou MR5, que começou a valer hoje, dia 1º de Abril, acredito que deva ser atualizado em breve, isso tem a ver com as invocações especiais, quem tiver interesse é só clicar aqui.

O jogo possui uma campanha simples de somente duelos, sem cenários e exploração, o modo Battle Pack é divertido pois podemos jogar com cartas aleatórias e assim não estamos acostumados com este deck. O online do jogo funciona bem mas falta jogadores, acredito não ser cross-platform, e aí o tempo de espera é muito alto para conseguir jogar no tanto no ranked e amigável quanto no Battle Pack. As animações do jogo são legais mas nada demais, e as músicas são enjoativas, são as mesmas desde a primeira versão.

A falta da tradução em português brasileiro é algo inaceitável, depois de tantos lançamentos de Legacy of the Duelist, como a Konami não lançou nem mesmo uma atualização para resolver isso. A necessidade da compra do jogo com valor inteiro para todos (menos para quem comprou a versão antiga no Switch), é outra coisa que me chateia, ainda mais aqui no Brasil, é o valor do jogo, R$179,90 na Steam e Xbox Live e R$164,90 na PSN. Para ajudar, eu deixo aqui quais idiomas estão disponíveis no jogo: Inglês, Alemão, Francês, Italiano, Espanhol e Japonês.

Para quem é fã da série e não liga para o preço, pode comprar, se desejar um Yu-Gi-Oh! bem atualizado. Você, novato da série, que deseja aprender a jogar, pode adquirir sem medo, o jogo possui diversos tutoriais para ajuda-lo, é bem fácil de entender as mecânicas, principalmente das invocações, o negócio mais difícil. Mesmo o jogo sendo simples, e com seus erros e acertos, ainda consegue ser um bom Yu-Gi-Oh!, que te diverte e faz você querer jogar mais e mais para melhorar o seu deck.

Elton Calegari
Yare Yare