Os 5 maiores jogos de luta da nova geração - Conversa de Sofá

Conversa de Sofá

Por Flávio Ricardo em 22/04/2018

Os 5 maiores jogos de luta da nova geração

A nova geração de consoles está sendo tomada pelos jogos multiplayer, mas os clássicos jogos de luta, pra jogar no sofá de casa com os amigos nunca saem de moda.

Jogos de luta sempre foram um dos gêneros favoritos de quem ama reunir a galera no sofá pra jogar videogame em casa e disputar quem é o melhor, e na nova geração de consoles, apesar de todo seu poder, gráficos belíssimos e títulos cada vez mais focados no multiplayer, ainda assim não seria diferente, “dar umas porradas nos amigos”, aquela diversão offline no controle contra controle sempre vai ser bom.

Por isso, separamos uma lista com alguns dos maiores jogos de luta da nova geração de consoles pra vocês, a lista poderia ser maior é claro, mas resolvemos citar apenas os cinco que mais vem chamando a atenção dos jogadores, e caso vocês queiram sugerir algum outro, fiquem à vontade. Pra evitar brigas, não tem uma classificação aqui, a lista está em ordem alfabética!

Dragon Ball FighterZ

Recém lançado mas já considerado por muitos o jogo definitivo da franquia Dragon Ball, Dragon Ball FighterZ é um jogo de luta desenvolvido pela Arc System Works (a mesma de Guilty Gear), e publicado pela Bandai Namco.

O jogo de luta 2.5D traz conceitos de vários outros jogos de luta, principalmente no quesito de controles, que lembra bastante o clássico dos fliperamas Marvel vs. Capcom, que une combates rápidos em equipe e três botões de ataques além de botões de ação específicos para combos e ataques especiais ou combinados.

Atualmente Dragon Ball FighterZ conta com 24 personagens jogáveis (além dos assistentes). Uma DLC adicionou recentemente ao jogo os personagens Broly (o lendário saiyajin), Bardock e Zamasu.

Os personagens são desbloqueados conforme o jogador avança no modo história, que funciona num esquema de batalhas contra clones, sub-chefes e finalmente um chefe de arco, alguns personagens devem ser liberados usando a moeda do jogo.

Certas batalhas possuem cenas de finalização especiais chamadas de “cenas dramáticas”, que representam momentos marcantes do anime, como por exemplo o momento em que Goku derrota Frieza em Dragon Ball Z.

Injustice 2

Sequência direta do primeiro jogo da NetherRealm Studios, em Injustice 2 mais uma vez os heróis da DC se vem unidos contra um grupo de vilões denominados “A Sociedade” que ameaçam a paz na Terra.

Além dos inimigos de sempre, a Liga da Justiça deve lidar com uma ameaça que vem de outro mundo, a mente dominadora de mundos Brainiac. O jogo manteve tudo o que já conhecemos do primeiro com algumas adições e modificações nos golpes especiais dos personagens.

É possível dar socos fracos e fortes, assim como chutes, e uma aplicando-os na sequência correta forma combos poderosos contra os inimigos. Cada personagem possui uma habilidade específica que os diferenciam um dos outros, seus ataques especiais também são únicos.

Agora o jogo possui um sistema de Gear, ou armaduras, que são dadas ao jogador conforme esse avança no jogo e ganha nível. Cada Gear concede benefícios específicos além de aumentar o poder de luta do personagem.

Injustice 2 manteve o excelente modo história já conhecido de seu antecessor mas se mantém ativo também no modo online e através de campeonatos presenciais do jogo.

Marvel vs. Capcom: Infinite

O quinto título da série Marvel vs. Capcom onde o jogador controla os personagens dos dois universos chegou com exclusividade à nova geração após alguns anos de desenvolvimento e coloca ambos os universos na luta contra a união dos vilões Ultron (vilão dos Vingadores) e Sigma (vilão de Megaman X) que se unem em Ultron Sigma.

A já conhecida mecânica de lutas em equipes de três personagens com ataques assistidos conta com uma novidade nessa versão, agora não é mais permitido intervenções de assistência em ataques, que foi substituídos pela possibilidade de troca de personagens a qualquer momento, inclusive durante combinações. Outra novidade são as Joias do Infinito, que quando equipadas dão ao jogador habilidades únicas, como congelar o tempo, aumentar a força de seus ataques ou até mesmo regenerar sua vida, cada jogador escolha sua Joia antes de começar a partida.

Muitos personagens estão disponíveis para jogar em Marvel vs. Capcom: Infinite, sendo 19 deles do lado da Marvel e mais 17 do lado da Capcom. Você controla a maioria deles no modo história e posteriormente os liberado para os modo Arcade, multiplayer e online, com ressalva para os personagens liberados através de DLC.

Para saber mais sobre o jogo, confira também a nossa análise de Marvel vs. Capcom: Infinite.

Street Fighter V

Assim como seu antecessor, Street Fighter V é um jogo de luta com gráficos 3D mas traz diversas inovações no seu sistema de combate, dentre elas a barra de “energia V”, que vai aumentando conforme o jogador recebe ou aplica dano e pode ser usada para liberar novas três habilidades. Algumas mudanças no sistema de contra-golpes, combos e defesas também foram adicionadas afim de deixar o jogo mais competitivo já que Street Fighter vem ganhando cada vez mais força no cenário competitivo.

Pela primeira vez um jogo da franquia recebeu um modo história, que se passa entre o terceiro e quarto jogo, quando a organização do mal Shadaloo cria uma arma com capacidade de destruição em massa e pretende usá-la para conquistar o mundo. O jogo conta com alguns personagens inéditos como o misterioso Necalli, e também com o retorno de Charlie Nash numa versão meio morto-vivo.

Além disso, Street Fighter V é o primeiro jogo da série com jogabilidade compartilhada entre as plataformas PC e PS4, isso ajudou bastante na sua boa receptividade e vendas, recentemente a Capcom lançou a versão Arcade Edition, que mantém a compatibilidade entre as plataformas, além de agregar todas as DLCs e personagens já lançados para o jogo.

Para saber mais sobre o jogo, confira também a nossa análise de Street Fighter V.

Tekken 7

O oitavo jogo da série do jogo de luta da Bandai Namco traz finalmente a conclusão do conflito entre o clã Mishima. Além de contar conclusão dessa história que começou quando Jin Kazama ainda era uma criança, o jogo explica a origem do gene demônio.

Em termos de jogabilidade, duas novas mecânicas foram adicionadas ao jogo, a primeira delas é o Rage Art, que permite ao jogador executar ataques críticos que causam aproximadamente 30% de dano, dependendo do personagem. A segunda é o Power Crush, que permite ao jogador continuar seus ataques, mesmo sendo atingindo pelo inimigo. As batalhas continuam sendo disputadas em 1×1 e boas combinações de combos são a melhor opção para vencer.

Todos os personagens presentes em Tekken 6 estão disponíveis no jogo, além deles alguns novos foram adicionados, e assim como nos demais jogos da série, as vozes originais do país de origem de cada lutador foi mantida em suas linhas de ação. Tekken 7 foi lançado primeiro nos Arcades no Japão e só depois no PC e consoles, o que causou bastante expectativa nos jogadores do mundo todo.

Tekken 7 é um jogo incontestável dentro do gênero, um verdadeiro prato cheio, daqueles difíceis de resistir. Independente da sua preferência por jogos de luta, esse é um jogo que proporcionará incontáveis horas de diversão.

Para saber mais sobre o jogo, confira também a nossa análise de Tekken 7.

É um sul-mato-grossense e tem 27 anos, que começou no mundo dos games jogando Master System e Mega Drive, quando então conheceu o melhor console já criado neste mundo: o Super Nintendo. Já foi dono dos "clássicos" PSOne e PS2 e hoje passa horas disputando partidas nos battle royale da vida ou streamando!
DEIXE UM COMENTÁRIO
ÚLTIMAS ANÁLISES
  • Análise 11-11: Memories Retold (PC)

    Com inspiração na arte e o intuito de honrar os 100 anos do fim da Primeira Guerra Mundial, 11-11 Memories Retold apresenta histórias de pessoas comuns em um dos períodos mais brutais da humanidade.

  • Análise Resident Evil 2 – 2019 (PlayStation 4) Leon A

    Passaram-se 4 gerações de consoles até que uma das obras-primas do PlayStation original fosse refeita, utilizando-se de todo o aparato de tecnologia de alto-processamento e alta-definição atuais, algo que os fãs esperavam desde que o primeiro Resident Evil foi atualizado para o Game Cube, em 2002.

  • Análise Resident Evil 2 – 2019 (PlayStation 4) Claire A

    Vinte e um anos após o lançamento da obra original no primeiro console da Sony, a série Resident Evil alcança um novo ápice com o remake de Resident Evil 2, jogo que reúne nostalgia e primor em um produto que beira o impecável.

  • Análise Playerunknown’s Battlegrounds (PlayStation 4)

    O jogo que popularizou o gênero Battle Royale finalmente foi lançado no console da Sony para a alegria dos jogadores da plataforma PlayStation (e da Bluehole, que agora atinge a maior base instalada dessa geração). A criança prodígio do Brendan Greene chegou a tempo ou tarde demais?

  • SOBRE
    O Conversa de Sofá é um blog com notícias, dicas e tutoriais sobre jogos, análises e novidades sobre os últimos lançamentos e cobertura de eventos.
    REDES SOCIAIS