Análise Chroma Squad – Nintendo Switch

Desenvolvido pelo brasileiros da Behold Studios, Chroma Squad chega ao Nintendo Switch e é um ótimo RPG temático sobre Super Sentai.

Pra quem passou manhãs ligado na extinta TV Manchete e se lembra com carinho dos seriados japoneses que passavam no final dos anos 80, é uma homenagem divertidíssima a um tipo específico, os , grupos de 5 heróis cada um com cores e signos diferentes e um robô gigante pra pilotar quando a coisa ficar feia.

Todo em pixel art e com visão isométrica, Chroma Squad nos coloca no controle de cinco personagens mas não exatamente como os heróis do seriado Super Sentai. O estúdio brasileiro Behold usa novamente um recurso narrativo interessantíssimo que aplica uma camada de metalinguagem (como no jogo anterior deles, Knights of Pen & Paper) e coloca o jogador por trás das cortinas na pele dos atores que cuidam de todos os detalhes do estúdio Mighty Ltda.

chroma squad no estúdio
Ação!

Limelight

Nossos personagens são dublês que trabalhavam nas acrobacias de um seriado famoso mas que resolvem abrir seu próprio estúdio e rodar seu próprio programa de TV pois estavam cansados da mesmice do trabalho do diretor. Os cinco jovens seguem para o armazém vazio de um parente e começam a filmar usando fantasias de borracha e isopor e “props” de papelão colados com fita adesiva. Nosso trabalho é manter a audiência alta e transformar Chroma Squad num programa de primeira linha. Vamos ao trabalho.

O jogo é dividido em duas etapas e a primeira, no estúdio, envolve o gerenciamento da Mighty Ltda. em seus diversos detalhes. Podemos comprar equipamentos prontos para os atores (luvas, fantasias, espadas) ou comprar caixas de material para fabricá-los nós mesmos. Embora essa seja a opção mais barata, em certos casos, os materiais vêm sortidos na encomenda e pode ser mais prático adquirir com o lojista, principalmente se firmarmos um contrato de distribuição que irá nos conceder desconto. O estúdio pode ser melhorado para termos acesso a melhores materiais, e nessa etapa também é possível adquirir alguns produtos que darão mais HP ao esquadrão, por exemplo. Tudo por um preço, claro.

habilidades do chroma squad
Me veja uma fireball aí, meu consagrado

Mais adiantes será possível contratar empresas de marketing para cuidar da divulgação do seriado e teremos uma loja de melhoria para o nosso próprio robô gigante! O estúdio nos dá também a opção de escolher quais equipamentos e quais habilidades os atores irão levar para os episódios, onde a ação toma conta.

Two Steps and Punch

Chegada a hora da gravação dos episódios, os atores vão para um cenário isométrico onde enfrentarão, em turnos, vários minions do vilão principal da vez entre diálogos cheios de referência aos clássicos Sentai da finada rede Manchete e, obviamente, Power Rangers – o seriado que é a referência explícita na capa do jogo.

No combate temos instruções opcionais dadas pelo diretor do episódio que caso sejam cumpridas garantem audiência extra ao episódio, que vai se converter em orçamento depois que o episódio for ao ar (que é imediatamente após a gravação). Mas o que aumenta de verdade nossa pontuação são as acrobacias e habilidades usadas nas partidas. Ataques duplos, piruetas executadas em conjunto, finalizações e principalmente, a transformação dos atores no Chroma Squad, fase em que os poderes de cada herói ficam disponíveis.

a transformação do chroma squad
Mighty Chromatizing Chroma Squad

É interessante que não exista uma marcação determinando em que hora os atores poderão ativar o poder de transformação então cabe ao jogador decidir até que ponto dos episódios vale a pena seguir sem as fantasias e, por consequência, sem os poderes. Você pode seguir um episódio todo sem a transformação ou ativar as fantasias logo no primeiro turno e liberar o uso das habilidades. Minha escolha normalmente envolve começar sem poderes e ativar a transformação tão logo algum dos heróis fique com pouca vida pra garantir que nenhum deles irá cair, algo que já me aconteceu e que custou alguns pontos de audiência.

Durante o combate, cada herói pode se mover duas vezes, atacar conforme o alcance mostrado nos quadros coloridos ou usar uma habilidade que não consumirá o turno, exceto se usar uma arma ou ataque. Em certos episódios os minions podem usar ataques especiais e nessas horas precisamos decidir a melhor estratégia para eliminá-los, ainda que separar alguns heróis do grupo deixe-os vulneráveis. Em todo caso, não será difícil avançar pelas temporadas do seriado e aumentar as possibilidades de fantasias e de material no estúdio. Além de ser bastante interessante e satisfatório, durante o combate tocam as melhores músicas do jogo.

instruções da direção ao chroma squad
Me segue lá no @DiegoMatias

Big Guns

Chroma Squad é um RPG que apesar de ter me parecido um pouco confuso de início, conseguiu me cativar no momento em que eu entendi como suas mecânicas funcionam. O visual e as músicas ajudam a torná-lo bastante acessível e surpreendente a cada novidade apresentada, da animação que toma a tela no golpe de finalização dos monstros à mecânica de luta do robô gigante, que eu batizei de Chromazord. Estando totalmente localizado em português brasileiro (óbvio!), Chroma Squad é mais um título brasileiro de peso disponível no Nintendo Switch. Recomendadíssimo!

chroma squad na batalha
Os monstros roubam a cena
Let's rock and ride!