Análise Greedfall (PS4)

Com customização de personagens e ambientação excelentes Greedfall é um RPG de ação sólido e ambicioso que merecia um orçamento maior

Se precisasse usar apenas uma palavra para expressar o que mais chamou minha atenção para ou qual a temática principal do jogo eu optaria por escolha.

E embora essa devesse ser a pedra angular de todo bom , em muitos nem sempre é possível sentir o peso das suas decisões para o desenvolvimento do personagem e o que isso influencia na história.

Já em Greedfall toda escolha tem um peso, seja a classe inicial que o jogador escolhe logo após criar o personagem, sejam as habilidades, atributos e talentos ou se sua jornada será mais diplomática ou sangrenta.

Olha o monstro saindo da jaula

Lançado em 10 de setembro de 2019 para , e , Greedfall é um desenvolvido pela e distribuído pela , possui legendas e menus em português e é dublado em inglês (uma dublagem excelente diga-se de passagem).

É possível escolher o gênero do personagem, mas ambos os sexos têm a mesma origem e passado. Basicamente está é uma escolha visual sem maiores implicações para a trama apesar de determinar quais os relacionamentos amorosos o personagem possa vir a ter.

Para fins desta análise vou me referir ao personagem como homem já que essa foi a minha escolha.

Peças de um xadrez complicado

Você controla o nobre De Sardet, primo de um dos governadores das ilhas de Teer Fradee e diplomata a serviço da Congregação de Mercadores, uma espécie de associação neutra em uma região marcada pelo conflito entre diversas cidades, facções e tribos.

Além disso a região está assolada por uma doença misteriosa chamada Pestegris e o objetivo principal é encontrar uma cura para este mal enquanto tenta unir as diferentes bandeiras e crenças da ilha.

Atacar ou ir embora?

A ambientação e a história contadas em Greedfall são riquíssimas com vários lados e nuances e quase nenhum personagem tem uma moral definida, ninguém é puramente mal e nem todos os santos são puros.

Todas as pessoas com quem o jogador interage, seja nas missões principais ou secundárias, têm a sua própria balança moral e ela pode pender para diferentes lados.

E isso inclui o próprio De Sardet, como diplomata o seu trabalho é mediar conflitos entre povos rivais, mas dependendo das suas ações, interesses e a serviço de qual nação estiver em uma determinada missão nem sempre será possível manter a civilidade e isso pode gerar consequências marcantes.

Além da Congregação de Mercadores, existem diversos povos nativos de Teer Fradee que para não perderem seus costumes e terras lutam contra uma variedade estrangeiros que abarcaram na ilha, e mesmo entre as tribos nativas existem conflitos de interesses.

Os nativos tem pinturas no rosto bem legais

Os nativos têm uma ligação simbiótica com a ilha, sua fauna fantástica e dominam poderes mágicos e elementais e por isso são vistos como grande ameaça pelo povo religioso de Thélème, uma das cidades estados da ilha, que atribui a eles e ao culto de um deus pagão a culpa pela Pestegris.

Essa tensão entre colonizador evangelista e nativos gera diversas tentativas de conversão dos “selvagens” ou condenações a mortes nem um pouco piedosas.

Como eu queria dar na cara desse Aloysius

E esse fanatismo religioso não leva Thélème a ter problemas só com os nativos já que a cidade também está em guerra com a vizinha Hikmet, que compõem a Aliança Erudita, uma nação voltada à ciência, exploração de recursos naturais, desenvolvimento e progresso.

A Aliança Erudita por sua natureza científica acredita que os nativos e os recursos da ilha serão fundamentais para a descoberta da cura para a Pestegris.

Mas não se engane achando que ela é o  contraponto bonzinho aos fanáticos de Thélème, muitas vezes a ciência vai longe demais e ultrapassa a linha da moralidade em nome do que acredita ser o bem maior.

Vasco, the badass

E se não bastassem todos esses povos em conflito outro agente fundamental nesse barril de pólvora são os Náuticos, marinheiros responsáveis pelo abastecimento de suprimentos e transporte entre todas as cidades de Teer Fradee.

A importância dos Náuticos é enorme para todos os povos modernos da ilha, justamente pelo domínio da arte da navegação em um lugar cercado por todos os lados por guerra ou por mar e isso os torna uma casta que precisa ser muitas vezes mais agradada do que todas as outras.

E é nesse cenário agitado, cheio de intrigas e segredos que o jogador vai ter que desenrolar a sua história decidindo entre o que é correto ou quando possível o que é menos errado.

O mapa da minha mina tá no sul, mas ela só me instiga

As engrenagens de Greedfall

Greedfall é um RPG que mistura o fantástico e o “real” de forma bastante densa e tem muitas mecânicas e é fácil ficar perdido no começo até compreender o que cada coisa significa e como isso impacta o gameplay.

Logo após a criação do personagem é preciso escolher entre uma das três classes: Guerreiro, que é autoexplicativo; uma classe voltada para uma abordagem mais política chamada Técnico e uma focada em Magia e além disso dentro dessas Classes existem três categorias para desenvolvimento do personagem: Habilidades, Atributos e Talentos.

Cada uma dessas árvores atua como especializações de ações ou ditam o que o personagem pode ou não fazer ou equipar

Por exemplo, é necessário ter a Habilidade Armas de Fogo para poder usar pistolas, revolveres e rifles, mas mesmo com essa Habilidade sem o Atributo Precisão não é possível equipar nenhuma e quanto melhor a arma mais níveis de Precisão será necessário para usá-la.

Classes e seus desdobramentos

Sabendo que isso poderia ser complexo, inicialmente na tela de seleção de classes são recomendados alguns Atributos e Talentos melhores ajustados para aquela Classe específica, mas logo nas primeiras missões é fácil perceber que um híbrido na distribuição dos pontos é uma estratégia mais viável para enfrentar situações diversas que possam aparecer.

Porém cuidado ao fazer isso, ao distribuir pontos em Talentos, Habilidades e Atributos muito diversos você pode até se tornar um pau para toda obra, mas vai demorar a ser especialista em algo.

Por conta da forma em que a progressão foi pensada inicialmente Greedfall parece segurar a evolução do personagem e talvez esse seja um dos primeiros defeitos notáveis aqui, além da péssima animação dos movimentos labiais dos personagens.

Deu ruim

Habilidades melhores custam mais pontos ou estão posicionadas de forma que seja necessário investir em várias outras até conseguir liberar aquela ramificação em que a que você quer está.

E embora vários RPGs usem essa mesma tática o problema é que a experiência ganha nas missões, principalmente no início do jogo é bastante modesta e é um pouco demorado subir de nível para ganhar outro ponto e investir em outro atributo.

Outro detalhe: todo nível concede 1 ponto de Habilidade, mas são necessários 3 níveis para conseguir 1 ponto para ser gasto em Atributos e 4 níveis para conseguir outro ponto em Talento.

Ter Talento não é barato

Apesar disso existem formas de desbloquear novas Habilidades e Talentos sem estar atrelado ao nível do jogador.

Em cada mapa existe um altar escondido que fornece um ponto de Habilidade, o que é um grande facilitador, e armaduras melhores tem espaços em que podem ser colocados itens construídos imbuídos com um Atributo específico.

Por exemplo, meu personagem tinha uma luva com o Atributo Criação +1 então não precisei gastar meus preciosos pontos em Criação até o momento em que precisei criar itens melhores que precisavam de Criação +2 ou +3.

E se mesmo assim não ficar satisfeito com os rumos do personagem é possível reconfigurar todos os pontos distribuídos utilizando um item especial chamado Cristal de Memória conseguido ao derrotar os Chefes do jogo.

Na porrada eu não tenho limites

Friends… I’ll be there for you

Para acompanhar De Sardet em sua jornada pela fantástica ilha de Teer Fradee sua expedição sempre será composta por você e mais 2 companheiros de um total de 5 disponíveis, NPCs esses que vão sendo agregados ao seu bando ao avançar na história.

Cada um desses amigos tem uma especialidade e pertence a um meio político ou cidade diferente e embora não exista gerenciamento do que eles fazem durante os combates é possível personalizar os seus equipamentos e armas.

Todos têm missões secundárias simplesmente fantásticas que podem aumentar o nível de amizade e lealdade por De Sardet dependendo dos rumos adotados e escolhas feitas, além de gradualmente irem revelando a personalidade de cada um através de histórias bem desenvolvidas e complexas.

To my health… and death to the others!

Por outro lado, é possível ignorar completamente essas missões e não se importar em construir relacionamentos com o seu time, mas pode ser que em um momento decisivo eles tenham outras posições em relação ao que você pretende fazer e altere significativamente o desenvolvimento da história.

E apesar de algumas falhas aqui e ali na inteligência artificial eles são bem úteis nos combates, seja distraindo os inimigos ou tomando a frente enquanto você se recupera.

Briga, briga, briga, briga, briga!

O combate de Greedfall é bem simples se comparado às diversas nuances de desenvolvimento de personagem e não é demorado pegar todas as manhas.

Existem 2 ataques básicos, um no quadrado e um no triângulo, e o que cada um faz depende da arma equipada.

Uma espada de duas mãos dá um golpe horizontal com o quadrado e um chute que faz o inimigo perder o equilíbrio com o triângulo, ao utilizar magia quadrado é o botão de ataque a distância e triângulo um golpe mais forte, porém com um alcance muito menor.

Inimigos com caveira são mais difíceis, mas o loot também é melhor

Além disso existe uma barra de Fúria que pode ser usada para ataques mais devastadores e o quanto dessa barra é usada também depende do tipo de arma equipada. Algumas gastam uma quantidade maior mas causam mais danos e outras usam uma porcentagem menor, mas em contrapartida causam menos estragos.

Não existe barra de estamina em Greedfall, mas isso não significa que é possível bater sem parar, os inimigos defendem, desviam, dão contra-ataques e tudo isso contribui para quebrar o seu equilíbrio deixando De Sardet  suscetível a danos maiores além da demora para se recompor e voltar a atacar.

E para quem gosta de estudar mais o combate ou ser mais metódico existe um botão chamado Pausa Tática, e como o nome mesmo já revela, ele pausa a peleja e permite que o jogador escolha a próxima ação, seja se curar, colocar uma armadilha no chão, escolher um feitiço para paralisar o inimigo, checar se seus companheiros ainda estão vivos, etc.

Greedfall tem uma fauna fantástica própria baseada em animais reais

Já para aqueles que preferem um combate mais fluído e não pretendem utilizar tanto essa tática, até 8 atalhos para poções, feitiços e itens podem ser atribuídos nas setas do d-pad para o uso durante o combate.

Things are about to get dicey!

Apesar das diversas qualidades que Greedfall tem e que me fizeram gostar bastante dele existem alguns defeitos causados principalmente pelo balanço entre dois motivos: a ambição na criação de uma nova propriedade intelectual robusta e um orçamento não tão grande assim.

É notável que tanto desenvolvedora quanto distribuidora não pouparam dinheiro para a construção da ambientação, do roteiro e da dublagem dos personagens, além da criação de um dialeto ou parte de um que falado pelos nativos no meio das conversas mas em outros lugares fica nítido a economia ou falta de recursos.

Eu gostaria de poder usar uma capa

O jogo é muito bonito e bem detalhado, mas não é lindo e é comum encontrar NPCs que tem o mesmo rosto mesmo em cidades diferentes, ou prédios com construção idêntica como os palácios das três maiores cidades que são exatamente iguais estruturalmente e posição dos cômodos só mudando a decoração.

Talvez esse seja um preciosismo exagerado, mas isso prejudica bastante a imersão no mundo fantástico que foi criado para Greedfall.

Os loadings são bons, não muito demorados quando se faz uma viagem rápida entre uma cidade e outra e inexistentes quando se viaja entre acampamentos de uma mesma região e isso é excelente já que você vai precisar viajar muito entre regiões, principalmente do  meio do jogo pra frente.

Não quero acusar ninguém, mas o pai de vocês saiu fazendo estripulias por aí…

Mas se tem algo que me incomodou e já foi mencionado nesse texto é como a animação da boca dos personagens é horrível durante os diálogos.

É um contraste muito grande entre o nível de detalhamento do rosto deles, que é muito bom, com uma animação tão ruim, principalmente em um game que você vai passar boa parte do tempo conversando.

Terra à vista?

Felizmente a parceria entre Spiders Studios e Focus Home Interactive deve seguir firme no futuro, já que está celebrou um aumento de 135% nos seus ganhos em comparação ao ano passado, segundo o relatório fiscal de 2019 publicado no site da empresa, com um dos carros chefes sendo Greedfall.

Relatório fiscal da Focus Home

Isso é muito bom para um estúdio como a Spiders que vem tentando a um tempo emplacar um RPG bom e quem sabe em breve possamos ver o desenvolvimento de um novo game ambientado neste mundo ou mesmo uma nova IP com características similares.

No geral, apesar dos pequenos defeitos o saldo deixado por Greedfall é extremamente positivo ao conseguir criar uma mistura tão rica entre temas polêmicos como colonização, ciência, religião e misticismo com um gameplay muito competente e cheio de possibilidades.

A análise de Greedfall foi escrita com base em uma cópia de fornecida pela assessoria de imprensa do jogo.

Papai Platina
Trophy hunter e pai de 3 filhos maravilhosos.