Análise Potion Craft The Alchemist Simulator (Nintendo Switch)

Embarque em uma jornada relaxante na pele de um alquimista medieval criando poções até alcançar a pedra filosofal!

Arte Principal de Potion Craft

: The Simulator é mais um daqueles jogos criados com o único objetivo de relaxar o jogador de maneira prazerosa. No jogo, somos convidados a fazer as vezes de um alquimista que acaba de se estabelecer em um vilarejo, atendendo pedidos de pessoas necessitadas de uma solução (juro que o trocadilho foi involuntário).

Mas para fazer uma omelete é necessário, como dizem, antes de tudo, criar o universo não é mesmo? Assim o primeiro aspecto de gameplay apresentado é a coleta de recursos no seu próprio jardim, onde crescem as ervas (!) e cogumelos (!!) que serão utilizados para a preparação das poções.

Imagem mostra um jardim, com uma árvore grande e várias plantas no solo
Todos os dias novos ingredientes crescem no jardim e podem ser colhidos.

O próximo passo é abrir a loja e aguardar os clientes que chegam com os mais variados pedidos. Cada pedido é feito com informações básicas sobre o efeito e uma justificativa para o uso. Assim, sabemos que o pedido de veneno servirá para matar ratos ou pessoas, o que é de certa forma relevante pois o jogo possui um sistema simplificado de moralidade: quanto mais ajudamos bandidos e assassinos, pior é a nossa reputação e somente esse tipo de freguês baterá à nossa porta.

Em busca da Filosofal

Chegamos então à parte central do gameplay de Potion Craft e logo pode-se perceber que a proposta vai um pouco além de apenas misturar ingredientes. Para alcançar algum resultado com as poções, é necessário observar o Mapa Alquímico. Na verdade, esse mapa é o componente principal do jogo, pois neles estão distribuídos os elementos de cada poção e para obter resultados, devemos alcançar cada um desses objetivos.

A imagem mostra o laboratório de Potion Craft com várias formulas no Mapa Alquímico
As fórmulas estão distribuídas pelo Mapa Alquímico

A poção de vida, por exemplo, está localizada na parte inferior do mapa. Assim, para alcançá-la, devemos escolher ingredientes que, ao serem preparadas “caminhem” até aquela direção. Cada ingrediente percorre o Mapa Alquímico de uma maneira, seja em uma linha com algumas curvar, ou fazendo círculos ou mesmo em zigue-zague.
Ao aproximarmos da poção desenhada no mapa, é liberada a opção de criação, bastando usar o fole para aquecer o caldeirão e voilà: a poção está pronta.

Quanto mais próximos do desenho no mapa, melhor será a qualidade da poção, o que é mais desejável, pois os clientes estão dispostos a pagar mais por poções mais eficientes. As poções de nível III, por exemplo, somente são obtidas ao alinharmos milimetricamente a nossa fórmula com o desenho indicado no mapa.

Uma vez encontrada a fórmula, a receita pode ser salva, poupando-nos de percorrer o Mapa Alquímico para poções já conhecidas.

A imagem mostra um cliente na loja de alquimia. O cliente parace Geralt de Rivia.
Clientes interessantes aparecem com os mais variados pedidos.

À medida em que vamos aceitando encomendas e encontrando novas formulas de poções, o jogo entra em um ciclo de descobertas de novos ingredientes, poções e personagens. A cada novo dia podemos colher novas flores e raízes do próprio jardim ou aguardar que um vendedor apareça, oferecendo novos ingredientes e possibilidades, inclusive novas páginas para anotação de receitas e peças para restauração de equipamentos de laboratório para a obtenção de elementos mais complexos, rumo à descoberta da mitológica pedra filosofal.

Mexendo o doce

Para realizar todas essas tarefas, Potion Craft conta com um sistema de jogabilidade simplificado, mas eficiente. Concebido inicialmente como um jogo de , todos os comandos são realizados por meio de um cursor controlado pelo botão analógico esquerdo do controle que é programado para percorrer os menus do jogo com apenas alguns toques.

Dentre os itens encontrados na interface, temos menus de organização de ingredientes, itens de interação, como o caldeirão, fole e pilão para macerar os ingredientes. Também podemos transitar livremente entre as telas do laboratório, do quintão, da loja e do quarto em que podemos descansar para avançar o dia e salvar o progresso.

O jogo também possui um sistema de progressão e podemos subir de nível por meio da coleta de “livros de experiência” espalhados pelo Mapa Alquímico, bastando que a receita percorra um caminho que passa pelo livro. A cada nível, temos novos objetivos a serem alcançados, como a criação de uma determinada poção, criar uma poção com alto nível ou com dois ou três efeitos diferentes. As melhorias mais significativas são relacionadas ao aumento de visitantes na loja e melhor pagamento pelas poções criadas.

A imagem mostra o sistema de barganha do jogo com vários itens de interesse do vendedor que precisam ser selecionados no momento correto.
Barganhar é importante em Potion Craft

Uma mecânica interessante é a de barganhar com os vendedores, obtendo preços mais baixos para os ingredientes que vamos comprar, simulando uma conversa sobre assuntos do interesse do vendedor, como plantas, cogumelos, tipos de solo, montanhas, ferramentas e outros mais. No entanto, ainda com esse item, a gama de interações de Potion Craft é bastante limitada e pode cansar rápido.

A apresentação do jogo é bastante simples com gráficos em que evocam um estilo romântico e medieval. A trilha sonora é gostosa de se ouvir, o que é de se elogiar, afinal irá acompanhar o jogador por horas a fio. Não pude observar bugs ou defeitos no jogo, mas o carregamento inicial é bastante demorado.

Conclusão

Potion Craft: The é um jogo simples e relaxante. Daqueles para se passar o tempo e esvaziar a cabeça depois de um longo dia de trabalho. Não existem desafios complexos, mas uma proposta interessante que nos leva a prosseguir pela curiosidade de descobrir novos elementos e ampliar o Mapa Alquímico. No entanto, a repetição de gameplay pode se tornar um pouco maçante. Um bom jogo, competente para o que propõe.

Potion Craft: The Alchemist Simulator foi desenvolvido pela NicePlay Games e publicado pela Tiny Build Games em dezembro/2023 para e (já estava disponível para PC e anteiromente).

A análise foi feita com base em uma versão de Nintendo gentilmente cedida pela assessoria de imprensa do jogo.

Tiago Matias Escobar
Metaleiro não uniformizado. Cerveja, pizza, games e viagens ocasionais.