Análise Sniper Elite V2 – Remastered

Sniper Elite V2 foi originalmente lançado no longínquo ano de 2012 para as plataformas da geração anterior, Xbox 360, Playstation 3, PC e Wii U. É o segundo jogo da franquia de ação tática desenvolvida e publicada pela Rebellion e, em maio/2019, ganhou uma edição remasterizada para a atual geração.

Sniper Elite V2 título

V2 é um jogo de ação tática, com elementos de stealth e perspectiva em terceira pessoa.

No jogo, assumimos o papel de um atirador de elite americano, o tenente Karl Fairburne, e devemos cumprir missões na Alemanha no período final da segunda guerra mundial, em 1945. No cenário apresentado, o exército nazista tenta uma última ofensiva contra alvos aliados, valendo-se dos poderosos mísseis V2, que dão nome ao jogo. As missões dividem-se entre a eliminação de alvos importantes, destruição de locais ou armas valiosos para o exército nazista ou a obtenção de arquivos de inteligência. A progressão é linear, com a clássica divisão por fases e objetivos pré-determinados a serem cumpridos pelo jogador.

área urbana de berlim

Em podemos lançar mão de abordagens distintas, alternando estratégias de aproximação furtiva com tiroteio livre e (por que não?) desesperado. A ambientação das fases, com longos corredores que precisam ser atravessados, traz sentimentos misturados. Em parte, Sniper Elite V2 nos faz sentir como um Solid Snake, uma soldado mortal e o pesadelo dos inimigos, no entanto, por vezes a sensação de vulnerabilidade completa nos toma conta, pois não existe suporte algum a ser chamado ou mesmo qualquer comunicação com NPCs.

A progressão nas fases assemelha-se à resolução de quebra-cabeças, afinal temos que, sozinhos, passar por tropas alemãs e infiltrar em locais, em grande parte, em plena luz do dia. Dessa forma o jogo nos força a pensar em estratégias para ultrapassar tais obstáculos com os poucos recursos disponíveis. Além das armas, (um rifle de precisão, uma metralhadora e uma pistola), temos itens estratégicos a nosso dispor, tais como minas terrestres, armadilhas, granadas e a boa e velha pedra, para arremessar e distrair os soldados inimigos. Também podemos utilizar binóculos (muito potentes, por sinal), para localizar e marcar os inimigos no cenário. Um auxílio valioso para um soldado americano isolado em território inimigo.

marcando inimigos com binóculos

Mas a cereja do bolo está na utilização do rifle de precisão. A dinâmica de gameplay favorece o enfrentamento à distância, já que por vezes iniciamos as fases em um local distante, com vista ampla para o cenário e soldados inimigos. Nesses momentos, usar o rifle sniper é a estratégia praticamente imposta pelo jogo, pois além de ser a melhor arma do jogo, a utilização conta com mecânicas de física balística e ferramentas como o controle da respiração do protagonista. Acertar um headshot é muito recompensador e Sniper Elite V2 não economiza na exploração desse momento mágico, com efeitos de câmera lenta e “raio-x” (que certamente inspirou futuras os jogos mais recentes da franquia Mortal Kombat) e uma ótima interação com os sons ambientes, que permitem esconder o som dos nossos disparos.

ilustração câmera de morte - kill cam

Todavia, embora o jogo incentive a utilização do rifle de precisão, isso acontece devido à grande discrepância entre essa mecânica e as demais, como tiro em terceira pessoa e furtividade. Embora dotado de boas possibilidades de movimentação, como andar abaixado e rastejar, passar pelas linhas inimigas sem ser visto é tarefa quase impossível, devido à ausência de elementos mais moderno como camuflagem ou possibilidade de escondermos na vegetação, o que nos leva a inevitavelmente a um conflito aberto com os inimigos. Nesse momento, Sniper Elite V2 deixa a desejar, pois as mecânicas de combate não tem o mesmo polimento dado ao enfrentamento à distância. A inteligência artificial dos inimigos também deixa a desejar, pois basta aguardar alguns poucos minutos que os soldados alemães esquecem da sua existência, mesmo que você tenha espalhado caos e destruição por Berlim.

fase noturna de Sniper Elite V2

Os gráficos da versão remasterizada de Sniper Elite V2 são bonitos, trazendo uma aparência que em certos momentos lembra a tecnologia cel shading, que dá toques levemente cartunescos ao jogo. As músicas também são bastante competentes em emular a tensão do campo de batalha, além dos diálogos, todos em alemão, enriquecendo a imersão do jogador. O jogo ainda possui modo co-op e multiplayer, aumentando de forma sensível a sua longevidade.

Sniper Elite V2 Remastered é um bom jogo. Por vezes eu me peguei com uma certa nostalgia, relembrando de momentos clássicos de quando joguei Metal Gear Solid e Commandos, devido à mistura de elementos de stealth e ambientação da Segunda Guerra Mundial. Possui algumas características datadas, afinal estamos falando de um jogo lançado originalmente há mais de 05 anos, mas tem grande potencial de diversão, sobretudo devido à excelente mecânica de tiro de longa distância com o rifle de precisão, uma campanha que vai crescendo a cada nova fase e uma competente recriação histórica dos eventos da época. Me surpreendeu positivamente.

Metaleiro não uniformizado. Cerveja, pizza, games e viagens ocasionais.