Análise Hunt: Showdown (PlayStation 4)

Hunt: Showdown é o FPS multiplayer da Crytek em que somos caçadores de recompensas e precisamos enfrentar zumbis, monstros e outros caçadores.

Alguma coisa aconteceu no final dos anos 1800 na região pantanosa do sul dos Estados Unidos. Fazendeiros e trabalhadores do campo se transformaram em zumbis, cães saídos do inferno rondam os campos e estradas atrás de sangue humano e hordas de criaturas grotescas vigiam os lugares onde estão as pistas que apontam o paradeiro de monstros deformados que precisam ser banidos para o além. Nesse mundo não há lugar para os fracos e se você não quer ser uma presa, deve se tornar o caçador. Esse é o papel que desempenhamos em Hunt: Showdown, o shooter multiplayer da Crytek, publicado pela Deep Silver que tem ganhado cada vez mais fãs desde que saiu do acesso antecipado em 2019.

Não é um Battle Royale

Hunt: Showdown coloca 12 (não 100, nem 60, mas uma dúzia) caçadores em uma área que mede 1 km² povoada por toda sorte de criaturas mortas-vivas. São dois mapas, Lawson Delta (uma área rural com várias construções abandonadas) e Stillwater Bayou (região pantanosa com lagos, fazendas e igrejas), onde os jogadores precisam cumprir duas tarefas simples: encontrar, matar e banir os monstros e depois disso, trazer consigo a prova da morte até uma das saídas do mapa. Como é mais fácil falar do que fazer, vários zumbis e monstros separam você dos seus alvos e como se isso não fosse o suficiente, os demais caçadores estão atrás do mesmo objetivo que você.

Hunt segue a linha de jogos baseados em combate, loot e extração, como o modo Zona Cega da série The Division, Escape from Tarkov e o último jogo grátis da Bohemia Interactive, Vigor. Quando iniciamos, devemos procurar pelas pistas que delimitam as áreas onde o monstro pode estar no mapa. Uma vez encontradas, o local onde ele vive é revelado para o time que o descobriu. No entanto, localizar pistas, banir as criaturas e extrair é apenas uma das maneiras que você pode jogar e de certa forma, a mais básica. Cada partida dura uma hora e como não é necessário coletar as provas para extrair, há aqueles caçadores que apenas rondam os pântanos atrás de outros jogadores, tendo eles banido os monstros ou não.

A sorte do seu caçador pode mudar de uma hora para a outra: para melhor se você matar um jogador que coletou uma das provas ou para pior num piscar de olhos, caso você fique entre Meathead e um Immolator – dois dos NPCs mortos-vivos mais perigosos do jogo. Em certos casos, o melhor a fazer é dar meia volta e extrair para salvar seu caçador porque em Hunt: Showdown (surpresa!), a morte é permanente.

Hunt Showdown cenário
Quem nunca quis morar no campo?

O silêncio vale ouro

Os caçadores de recompensa do jogo podem ser recrutados gratuitamente ou comprados, sendo que os mais caros possuem melhores armas e traits. Explico: existe uma economia no jogo que regula quais itens e armas você pode equipar para cada caçador que estiver à sua disposição. Além da compra, a sua experiência como jogador (Rank) define o que você pode acessar e em adição a esse Rank, a experiência do seu caçador dará a ele ou ela, a chance de escolher vários benefícios que irão aprimorá-lo, aumentando as chances de uma caçada bem sucedida. Essas traits são parte importantíssima do jogo e um grande incentivo para que o jogador proteja a vida do seu personagem já que, como dito, um caçador morto perde tudo o que levou para a partida.

Embora um caçador de nível 30 com várias habilidades como a lendária Fanning (trait que permite disparar seu revólver rapidamente, exatamente como nos filmes de velho oeste) ou Silent Killer (reduz o ruído dos ataques corpo-a-corpo) tenha vantagens em combate, ele ainda pode ser morto por um caçador nível 1 com um tiro ou um golpe de machado na cabeça. Os caçadores são frágeis e qualquer descuido pode significar a morte deles. Para aumentar o suspense, não é possível saber quantas pessoas estão vivas no mapa em nenhum momento e por isso não perde quem desconfia estar sendo observado pelas janelas e frestas das construções antigas ou por trás dos arbustos. Isso faz com que todo mundo na partida caminhe o tempo todo em gelo fino e procure fazer a menor quantidade de ruído possível e acredite, não é fácil. Cachorros, patos, corvos, zumbis, galinhas; tudo, absolutamente tudo funciona como armadilha sonora e pode alertar o inimigo sobre onde você está no mapa.

Caso você vá atrás da presa para extrair a prova da caça, Hunt: Showdown irá te colocar em uma situação onde a tensão só perde para a chance de tudo dar errado: a fase de banimento. O prêmio pela caça é o objetivo mais valioso da partida e o jogador que quiser levar a prova embora, primeiro terá que defendê-la. Quando derrotamos um monstro (atualmente são 3 chefes: a Aranha, o Assassino e o Açougueiro) e iniciamos o seu banimento, todos os jogadores são alertados sobre a evolução do processo (0 a 100%) e sobre onde o banimento está acontecendo. Essa fase demora alguns minutos – as provas (tokens) só aparecem depois disso – e durante esse tempo você e seu parceiro precisarão estar atentos aos invasores que virão para pegar o prêmio das suas mãos frias e mortas. Tudo nesse momento é tenso. Imagine o final de uma partida de Rainbow Six Siege onde resta apenas você e mais um companheiro no time de defesa e vocês não sabem quantos inimigos estão do lado de fora tentando pegar o refém. Como o mapa é aberto, a tocaia pode estar sendo feita lá fora, nas árvores, ou ainda no ponto de extração, impedindo você de sair do mapa.

Por sorte, o portador da prova recebe a habilidade de enxergar os vultos dos caçadores próximos com a visão Dark Sight por um tempo e o tutorial do jogo faz um ótimo trabalho ao ensinar todas essas mecânicas aos jogadores novatos.

Hunt Showdown hellhound
“Cachorro? Ele não é cachorro, ele é da família…”

Onde comprar Hunt: Showdown

Espero que tudo que eu tenha descrito até aqui tenha alimentado o seu interesse em jogar Hunt: Showdown mas infelizmente o jogo não está disponível na PlayStation Store brasileira. Embora a Crytek tenha lançado Hunt mundialmente para PC, a editora Deep Silver publicou a adaptação do jogo para PlayStation 4 e Xbox One apenas na América do Norte, Europa e Oceania então, por conta disso você tem as seguintes opções para jogar dependendo do seu console:

  • PlayStation 4 – Usar uma conta americana/europeia para comprar o jogo, baixar e jogar;
  • Xbox One – Mudar a região da sua loja para comprar e mudar de volta para baixar e jogar;
  • PC – basta comprar na Steam, já que no PC ele é publicado pela própria Crytek.

Essa ausência oficial do jogo no Brasil causa mais problemas do que apenas a compra em dólares (por sorte o jogo sempre entra em promoção). Como Hunt: Showdown não foi lançado por aqui, não há servidores na América do Sul (apenas para PC) e caso sua conexão não seja boa, não serão poucas as vezes que as mensagens de perda de pacotes ou ping alto irão aparecer na sua tela. Além disso, o início das partidas é um pouco lento e o carregamento dos assets na tela também pode demorar, fazendo com que pareça que você está jogando Hunt: Showdown no Nintendo Switch e esse é o maior crime, uma vez que a direção de arte desse jogo é nada menos que impecável.

Os pântanos, plantações, rios e prédios caindo aos pedaços passam a sensação de miséria e decadência que casa perfeitamente com a atmosfera assombrada do jogo. Vilarejos com casas de madeira apodrecida, a estação de trem esquecida no tempo, o visual dos caçadores, a arte icônica das traits disponíveis para compra e as armas, tudo é coeso nesse universo levemente inspirado em H. P. Lovecraft.

Hunt Showdown Hunter
Os caçadores são incríveis

A caçada é a recompensa

Apesar de alguns problemas inevitáveis por enquanto, Hunt: Showdown é um jogaço. As caçadas oferecem uma ótima variedade de abordagem (solo, dupla e trio), e por ter cross play entre PlayStation e Xbox One habilitado, sempre há partidas disponíveis seja no modo Bounty Hunt ou no Quickplay, modo solo que é o melhor método para obter caçadores com boas armas e traits. Aos poucos uma comunidade de jogadores brasileiros vai ser formando em grupos do facebook e discord e mesmo com a maioria dos jogadores sendo formada por estrangeiros, o jogo possui um sistema de ping simples que permite uma comunicação visual com a sua equipe de caçadores. Apesar do combate brutal que não perdoa vacilos e da morte permanente, Hunt: Showdown é mais acessível do que sugere a sua atmosfera lúgubre e seu ciclo sempre chama o jogador para mais uma caçada. Recomendadíssimo.


Nós do Conversa de Sofá acreditamos que o videogames são uma mídia poderosa e revolucionária e que somos muito privilegiados em poder ter acesso a essas obras desenvolvidas por pessoas talentosas do mundo todo. Por isso, nesta época em que somos ameaçados pelo Covid-19, fique em casa e aproveite a oportunidade para jogar muito videogame. Ficando em casa você não só pode apreciar os melhores jogos como também pode contribuir para que possamos voltar à nossa rotina o mais rápido possível, além de salvar vidas.

Diego Matias
Além dos reviews, escrevo no Riffs & Solos e faço vídeos com meu irmão no canal SuperContra. Passa lá!