Análise Jusant (PS5)

Escalar nunca foi tão divertido e lindo como em Jusant, novo jogo da Dontnod.

Jusant

Tenho certeza que em algum momento da sua vida você deve ter olhado alguém praticando escalada em montanhas enormes e se perguntado — por que arriscar a vida subindo algo assim, sendo que depois a pessoa ainda tem que descer tudo — Para que arriscar a vida desta forma? Bom, eu sinceramente não consigo entender e não consigo ter uma resposta para isso. Porém, confesso que vejo com belos olhos a prática desse esporte, pois se a vida realmente vale a pena por causa de momentos de emoção, escalar uma montanha talvez seja o ápice deste sentimento. Bom, mas por que estou falando isso?

Porque o novo jogo desenvolvido e publicado pela Dontnod lançado em 31 de outubro para , S/X e trata exatamente sobre o tema escalada, trazendo de forma surpreende uma importância para este esporte, dando um significado para quem o pratica, porque com certeza quem topa subir uma montanha, possui uma grande motivação.

Jusant

Só existe uma direção: para cima

Logo em seu início o jogo nos mostra o que nos espera, uma enorme montanha que atravessa os céus e parece não ter fim. Para quem não possui ou possuía nenhum conhecimento do jogo, como eu por exemplo, pode ficar um pouco perdido para encontrar sentido em “somente subir”, mas garanto que isso logo passa.

Tenho certeza que você já ouviu essa frase: “o importante não é a chegada, mas o trajeto”. Sei que parece clichê, mas jogando Jusant essa frase não deixava a minha mente, e realmente me fez refletir sobre como nós muitas vezes focamos na chegada que pode ser sobre diversas coisas, e esquecemos de momentos que fizeram parte da caminhada até o objetivo final, seja ele conquistado ou não.

Provavelmente você está se perguntado: “o jogo é sobre isso, só subir?” Sim e não. Sim, pois a única coisa que você irá fazer é escalar. Não existe nenhum tipo de combate, quebra-cabeças ou mesmo algum inimigo que você tenha que fugir, e como padrão em jogos indies que não tem possuem medo de não agradar a todos, não é exagero dizer que Jusant é um simulador de escalada. Então, caso você tenha dificuldades de se prender em um jogo de reflexão e apreciação de cenários, lamento que esse aqui definitivamente não é para você.

Escalada

Apesar de odiar este termo “este jogo não é para todos”, já que qualquer mídia não é para todos, como games se tornaram extremamente populares, parecendo que todos games lançados precisam ter ferramentas populares para o grande o público, fico feliz em dizer que não é o caso aqui.

Apesar de não agradar, eu realmente fico muito triste. Porque como já disse na análises de outros jogos indies, para mim, são esses estúdios e jogos que fazem com que toda a indústria caminhe para frente, pois é através deles que vemos histórias criativas e impactantes, e principalmente a criação ou aperfeiçoamento de gameplay que vemos muitas vezes em jogos “Triple A”, e aqui não diferente.

Escalar nunca foi tão divertido

Você deve pensar que já que se trata de um jogo de subir e escalar, é só ficar com o direcional do controle para cima e apertando “x” né? Não é. E não é errado pensar assim, afinal de contas 99% dos jogos que usam de escalada no gameplay você não precisa fazer muita coisa, seu personagem não precisa de ferramentas e nem o cuidado de cair, é só ir apertando que tá tudo certo. Pois é, em Jusant não é assim.

Superar os desafios

A Dontnod conseguiu criar um estilo de gameplay extremamente simples de entender e executar, mas ao mesmo tempo complexo sobre os cuidados que você deve ter, somando ao fato de que às vezes você precisa pensar em como chegar “ali”. É verdade que em maior parte do tempo o caminho é linear e você não vai se perder.

Seu personagem possui uma corda é fixada na base de onde você está partindo e mesmo que o caminho seja claro algumas vezes, você precisa saltar para alcançar o próximo degrau da escalda ou criar um novo “fixador” que não é este o termo correto mas acho que é mais simples de entender, para você alcançar o objetivo, seja pulando ou correndo nos muros da montanha para ganhar impulso. E não pense que é só ir apertando para cima.

Funciona assim. R2 você controla a mão direita e L2 a mão esquerda, durante toda escalada você precisa ficar alterando entre os botões pois caso você solte algum deles, seu personagem irá cair. Além disso, você precisar ficar atendo ao uso da corda que vai mudando de cor até ficar vermelha quando chega em seu máximo e depois disto, você não conseguirá progredir. Outro ponto é administrar o fôlego do personagem que principalmente nos saltos é bastante utilizada. E caso chegue no fim, seu personagem terá pouca resistência e alguns casos é melhor descer para ultima base e recomeçar. Tá vendo? Não é tão simples. Descrever sua mecânica em palavras é difícil e por isso pode parecer ser complexo, mas garanto que não é.

Jusant ainda possui elementos mágicos que são aproveitados também na escala, mas não vou falar o que acontece pois seria dar spoiler de um dos momentos mais fofos do jogo. Mas a foi extramente criativa na criação de fases e biomas, que vão implementando gradativamente um desafio que mantém o ânimo em perseguir mesmo que não seja extremamente díficil.

Jusant

Por fim, vale salientar que você não morre. Ou seja, mesmo que caia da escolada seu personagem sempre ficará preso a corda, impedindo que ele chegue ao chão.

E sabe aquela hora que disse sobre jogos indies impulsionar a indústria, pois bem, em breve tenho certeza que você verá essa ferramente de escalada em alguns dos grandes jogos.

Embora eu tenha gostado de todo gameplay de escalada eu devo salientar que em alguns poucos momentos a direção do personagem é um pouco imprecisa. Senti uma falta de precisão no controle do boneco principalmente em saltos que me trouxeram um pouco de frustração. Além disso, eu sofri de alguns pequenos bugs como entrar em determinados cenários e ter dificuldade para sair, mas não chegaram a estragar minha experiência.

Lindo

Não é novidade para quem me conhece, que este estilo cartoon em jogos é um dos meus favoritos. Quando bem utilizado, ele esbanja beleza e estilo e não é diferente em Jusant, mas ainda me surpreendeu. Logo que o gameplay começou eu soltei logo um “que jogo lindo”, na verdade não foi bem isso, mas enfim, não posso falar isso aqui.

Jusant

Com salientei antes o jogo possui diferentes biomas que são extremamente lindos com uma iluminação fantástica, principalmente em ambientes mais fechados. De verdade nem parece um jogo de menor orçamento.

Além disso, o jogo conta uma linda trilha sonara, que ás vezes não é tão presente como eu gostaria que fosse, mas contém que contém belas canções.

Por fim, Jusant está totalmente localizado em português brasileiro, e isso é fantásticos, pois o jogo possui diversas cartas de outros escaladores, que contam belas histórias de outros que ficaram pelo caminho.

Uma grande surpresa

Jusant é com certeza um dos melhores jogos que joguei este ano, e se tornou talvez a minha maior supresa. Eu não tinha conhecimento do jogo até seu lançamento e amei cada minuto de sua que me trouxe boas reflexões durante a díficil escalada.

Mesmo que não seja para todos e alguns vão chama-lo de “simulador de escalada” eu digo que ele é muito, mais muito mais que isso. É uma linda jornada com um final lindo e inspirador.


A análise de Jusant foi escrita com base em uma cópia de review gentilmente cedida pela assessoria de imprensa do game.