Análise Out Of Space: Couch Edition (PlayStation 4)

O estúdio brasileiro Behold Studios deixa para trás os gráficos pixelados em Out Of Space, um party game que mistura alienígenas com tarefas de casa. Parece estranho? Confira nossa análise!

Imagem de título - Out Of Space

Quem ainda não ligou o nome à pessoa, os brasileiros do Behold Studios são responsáveis pelos maravilhosos Knights Of Pen & Paper, Galaxy Of Pen & Paper e Chroma Squad, que além da abordagem diferenciada no gênero de RPGs, trazem uma assinatura visual da e um texto muito bem humorado. Dessa vez, em um movimento ousado, o estúdio resolveu arriscar em um jogo totalmente em 3D e sem nenhuma característica de role-play.

Em Out Of Space: Couch Edition controlamos os habitantes de uma espacial, recém chegados de mudança. O objetivo do jogo é ajeitar a casa nova limpando e restabelecendo a energia de cada um dos cômodos da nave por meio de baterias. Para isso contamos, basicamente, com um esfregão e um balde de água, além de outros objetos que podem ser comprados durante as fases e garantem melhorias e auxiliam na árdua tarefa. 

Out Of Space - Seleção de Nível e Personagem
Suave na nave.

Conforme encontramos um ambiente sujo, devemos limpá-lo varrendo ou jogando água. Na  medida em que limpamos, a sujeira fica armazenada em sacos de lixo que podem ser reciclados gerando moedas aos jogadores. As moedas permitem a compra de novos itens como baterias (para restaurar a energia em cada cômodo), balde de água extra, uma pizza ou ainda itens mais avançados como uma bicicleta ergométrica, por exemplo.

A Dinâmica do Caos

O ciclo de gameplay do jogo consiste em avançar na limpeza e ativação de cada cômodo ligando a energia, o que parece simples mas não é tarefa fácil.

Como outros jogos do gênero, a jogabilidade de Out Of Space: Couch Edition foi desenhado pensando na interação caótica entre os jogadores e o ambiente em um ciclo de tarefas que exigem coordenação, atenção e paciência: abre uma porta, varre o chão, pega o lixo/alien, leva pro reciclador e assim por diante, até gerar moedas suficientes para uma bateria que será usada naquele cômodo. 

Out Of Space - Fase com muita sujeira
Tem sujeira pra todo lado!

No meio disso, a fome e o cansaço abatem-se sobre os personagens, obrigando-os a comer e descansar. Se por um lado a fadiga é facilmente resolvida com uma soneca (que toma um tempo precioso, mas não mais do que isso) a fome, se não combatida, pode levar a um indesejado “game over”. Felizmente temos uma conveniente plantação de abóboras da casa que além de servir como alimentos para os personagens também pode ser reciclada para ajudar em momentos de grana curta.

Aqui a mecânica caótica de Out Of Space: Couch Edition começa a se revelar, pois todas as ações dos personagens ao mesmo tempo que servem para a progressão na fase, rumo à casa limpa, também têm consequências negativas, pois mesmo reciclar alienígenas ou regar o pé de abóbora toma tempo. Assim, gerenciar o avanço sobre esses obstáculos é a grande sacada do jogo.

Out Of Space - Personagem Dormindo
A casa tá suja mas é hora da soneca…

Isso porque os aliens se multiplicam rapidamente a partir de qualquer cômodo sujo e espalham gosma alienígena em tudo aquilo que tocam, a ponto de inutilizar as estruturas montadas com tanto cuidado por nossos adolescentes espaciais. Uma vez que um objeto esteja tomado pela sujeira, só pode ser limpo com um balde de água, obrigando-nos a deixar os cômodos sem atenção, o que pode fazer com que mais aliens nasçam. Ficar sujo também é um contratempo enorme e sem um companheiro exige que tenhamos um chuveiro para nos limpar. Some-se isso ao fato de que cada personagem só consegue interagir com um objeto por vez, seja um balde, uma vassoura ou a alavanca de uma porta e você tem a receita perfeita do desespero. Assim, paciência e estratégia serão essenciais aos jogadores.

Embora seja muito divertido, não posso deixar de destacar que não é um jogo muito fácil. Diferentemente de Moving Out ou Tools Up! que possuem uma métrica de tempo para estabelecer o sucesso do jogador em cada fase, em Out Of Space: Couch Edition o serviço só termina quando todos os cômodos estiverem devidamente limpos e energizados e considerando o intrincado equilíbrio entre avançar para novas áreas e manter os cômodos limpos a salvo de aliens, uma partida em uma nave grande pode chegar até a 1 hora de duração, sobretudo se você (como eu na maior parte do tempo) tiver que se virar jogando sozinho.

Out Of Space - progressão
A progressão no jogo acontece com conquistas e desbloqueios de novos itens, personagens e inimigos.

O avanço no jogo acontece por meio de desbloqueios de novos itens e inimigos em fases sempre geradas proceduralmente, em que temos a liberdade de escolher o tamanho – pequena, média ou grande. Assim, não existe um mapa ou métrica de progressão específica, mas a cada avanço (que é mostrado na tela de início), novos itens, personagens e aliens ficam disponíveis, tornando a limpeza mais difícil ainda. Após terminarmos as naves grandes são introduzidos modificadores semanais para aumentar o desafio do jogo.

Olhando Atrás do Sofá

Como o título da edição de consoles deixa entender, Out Of Space: Couch Edition possui multiplayer cooperativo local, permitindo que até 4 jogadores ingressem em uma partida. Infelizmente, a versão do jogo para consoles não possui o modo online presente na versão de PC do jogo, então você precisa necessariamente ter uma companhia para aproveitar o modo cooperativo local. Acaso não tenha, o jogo automaticamente fornece um ajudante: um cachorro fofo que te segue para todo canto e pode atordoar os alienígenas com seu latido.

Out Of Space fica bem melhor se jogado com uma companhia.

O que mais me surpreendeu em Out Of Space: Couch Edition é que embora tudo pareça simples, existe uma profundidade nas mecânicas que fornecem liberdade para os jogadores improvisar e criar estratégias próprias para melhorar o desempenho na limpeza ou gerar mais dinheiro. Por exemplo, podemos colocar uma abóbora no microondas, criando uma salada que gera duas porções de alimento. Mas por que não colocar cozinhar um alien? Ou que tal aumentar a eficiência da bicicleta ergométrica (que gera dinheiro, mas aumenta o cansaço do jogador) colocando uma estante de livros bem em frente? Ou ainda “farmar” alienígenas para gerar comida e dinheiro mais rapidamente? O interessante é que várias dessas interações não são explicadas durante o jogo e devemos descobrir por nós mesmos, mas os desenvolvedores sempre dão algumas dicas nas redes sociais.

Casa limpa e louça lavada

Out Of Space: Couch Edition é uma excelente adição à lista de jogos cooperativos locais com temática amigável e gameplay simples e com desafio honesto. Cada nova descoberta aumenta ainda mais a vontade de jogar mais uma vez e completar os desafios propostos. A confusão propositalmente causada pela dinâmica do jogo não causa frustração e dá o toque cartunesco e caótico que é sempre bem-vindo nesse tipo de jogo.

Os poucos pontos negativos ficam com a trilha sonora que poderia ser mais variada e a ausência do modo multiplayer online. Os gráficos simples e os personagens carismáticos mostram que a aposta dos desenvolvedores em um jogo diferente de tudo que lançaram anteriormente foi muito acertada.

Out Of Space: Couch Edition foi desenvolvido pelo estúdio brasileiro Behold Studios e publicado pela Plug In Digital em novembro/2020 para 4, e Nintendo Switch. A versão de PC foi lançada em 2019.

A análise foi feita em um com base em uma cópia digital gentilmente fornecida pela assessoria de imprensa do jogo.

Tiago Matias Escobar
Metaleiro não uniformizado. Cerveja, pizza, games e viagens ocasionais.