Análise Crysis Remastered Trilogy (Xbox One e PS4)

Crysis Remastered Trilogy resgata a nostalgia de um dos FPS mais badalados dos anos 2000 em uma coletânea remasterizada para a nova geração.

Eu duvido muito que você não tenha ouvido falar em , ao menos uma vez, seja pela qualidade do jogo ou pelas discussões sobre o seu PC ou de um amigo, aguentar rodar este jogo, de tão lindo e belo que ele é e que servia de parâmetro para ver se um PC era bom ou não. Me lembro que nessa época ninguém ficava perguntando qual é o seu processador e a geração dele, versão do quanto você tem de memória, qual sua placa de vídeo ou versão de Directx (no caso o mais usado na época era o 9 e então a CryEngine 2 passa a utilizar o Directx10 explodindo o mercado de games). Para alguém ter noção se o PC era bom de verdade ou não, a pergunta era bem simples: “Seu PC roda Crysis?”, se sim, a sua máquina era top de linha, caso contrário, eu só lamento.

E digo mais, os PC’s de mercado não conseguiam rodar ele no High no seu lançamento e muito menos no Very High. Quem conseguia rodar em um desses modos de qualidade gráfica, tinha o famoso “computador da NASA”. Sem contar que o jogo nos dava a sensação de que ele estava muito além do seu tempo, se tornando um divisor de águas nos jogos eletrônicos em meados dos anos 2000. Ou seja, estávamos em 2007 jogando um game de 2012, pois foi feito 100% focado para rodar em computador, deu para entender o raciocínio de ter a sensação de estar jogando um jogo a frente do seu tempo? Isso foi o efeito que Crysis causou em muitos gamers da época.

Mas para quem ainda não conhece, é um FPS de primeira pessoa ambientado em um universo futurista tendo o seu primeiro jogo lançado em 2007. Nele você joga como o Tenente Nomad, um soldado da equipe de elite mais letal já vista, que usava o que chamamos de Nano Suit, uma armadura combinada com a tecnologia de nano robôs que permite ao usuário, vantagens e habilidades no campo de batalha, tais como ficar invisível, super força e aumento da velocidade. As habilidades da Nano Suit se transformam em uma grande maquina de batalha contra os inimigos. É com ela que você terá que ir para o arquipélago Lingshan, na Coréia do Norte, onde um grupo de arqueólogos americanos fizeram uma descoberta impressionante que seria do primeiro fóssil alienígena já descoberto, mas acabaram presos pela ditadura instalada no país. É neste contexto que essas três obras se desenrolarão em uma série de batalhas insanas, infiltrações, descobertas e reviravoltas.

Remastered Trilogy foi lançado em 15 de outubro de 2021 e o foco dessa análise não é contar a história e detalhes de cada um dos três já lançados e sim focar na atualização gráfica que o jogo teve (remasterização), analisando como ficaram os gráficos, som, jogabilidade e tentar mostrar não só para os veteranos as novas mudanças que a desenvolvedora alemã Crytek disponibilizou, como também para os novos jogadores que não tiveram nenhum contato com o jogo, ainda.

Perceba o detalhe da sombra de uma das palmeiras sob a arma do Tenente Nomad, enquanto ele caminha em uma estrada rica em detalhes e uma vegetação exuberante.

E cá estamos em 2021, os questionamentos pra medir a potência do seu computador ou de um amigo já não são mais necessárias com Remastered Trilogy, pois o que era bom esta ainda melhor. O mais engraçado de tudo é que mesmo jogando hoje, e já experimentado diversos outros jogos em FPS no decorrer dos anos, eu morri demais em Crysis, tendo bastante dificuldade pra zerar o game. Ele não é tão fácil como um HALO ou Far Cry onde você morre por algumas vezes mas consegue avançar no jogo sem maiores problemas, em Crysis, não é bem assim. Nele eu reencontrei diversas partes onde tive que por em prova as minhas habilidades em momentos bem complicados.

Remastered Trilogy é um jogo que vale muito a pena para quem não conhece ou até mesmo para quem jogou o game a anos e quer reviver as lembranças de um passado muito prazeroso para os amantes de FPS, e também para quem não zerou e agora tem a oportunidade de jogar todos os três jogos da franquia em uma versão remasterizada.

Vegetação, detalhe na textura das rochas e profundidade fazem você esquecer as versões anteriores.

Os gráficos nessa versão obviamente estão melhores do que as versões lançadas para Ps3 e Xbox 360, a impressão que dá é que tudo foi retrabalhado, seja a sombra, detalhes das texturas, contrastes, melhorias na superfície da água e debaixo dela, efeitos de fumaça, explosões e luzes. Fiz a comparação instalando a primeira versão de para Xbox 360 e jogando ele em retrocompatibilidade via GamePass e realmente é perceptível uma grande melhora, não é um remaster qualquer, é algo bem significativo, mas que infelizmente vem sem as legendas em português e isso é um ponto negativo caso você queira entender mais sobre a história. A alternativa para quem não manja do Inglês é pôr o game em espanhol, fica ai a dica.

Fora a melhoria gráfica, pude perceber uma atualização sonora, especialmente nas armas e veículos. A inteligência artificial dos NPCS também foram melhoradas, ou melhor, corrigidas. E levando em consideração que a primeira versão lançada em 2007 já era de saltar os olhos, a versão remasterizada me deu um ânimo a mais para jogar e fui pego diversas vezes olhando e apreciando o cenário totalmente mais limpo e detalhado das primeiras versões de console.

Tanto a superfície quando a parte subaquática da água estão bem melhor reproduzidos em Crysis.

A água em era algo que eu sempre parava pra ver, e é óbvio que foi uma das primeiras coisas que fui verificar, assim como o céu que sempre chamou atenção, marcas de pneu na areia, detalhes nas pedras, vegetação e rochas são dignas de uma remasterização.

O próximo jogo da trilogia é Crysis 2, que foi lançado em 2011 e que também recebeu sua versão remasterizada, e sem contar com as melhorias gráficas e sonoras, neste eu pude perceber melhorias nas sombras e alguns detalhes, sem contar que achei o polimento melhor nas armas, veículos e principalmente no cenário.

O segundo jogo da serie é tão bom quanto o primeiro e é nele que muitos dizem que é o melhor Crysis já lançado. Eu tenho uma preferência pelo primeiro, mas o segundo game da franquia, tenho que concordar que é o melhor. E era nele que eu queria tirar uma conclusão mais profunda, pois vi relatos de travamentos e engasgos, porém comigo nada disso aconteceu e o jogo fluiu muito bem sem nada que afetasse a minha gameplay.

Em Crysis 2 podemos ver a cidade muito mais detalhada, e a dica pra por em espanhol ainda está valendo.

E pra fechar a trilogia, vamos para Crysis 3 que foi lançado em 2013 e tinha um gráfico surreal e agora com a remasterização os pontos fundamentais que pude perceber, tirando tudo o que eu já falei antes sobre os outros dois jogos, foi uma melhora significativa na iluminação. O visual do cenário, combinados com a iluminação refletindo a chuva, ficaram totalmente incríveis e exuberantes, a sombra dos personagens refletindo no cenário ficaram mais polidas, o rosto dos personagens principais também melhoraram de forma perceptível e olha e que esse jogo na minha opinião nem precisava de melhorias pois já era um jogo com visual extremo em 2013.

Mesmo sendo um Crysis onde dividiu opiniões devido a possibilidade de jogar em stealth, algo que até dava pra fazer no Crysis e Crysis 2, neste terceiro game da franquia, estamos acompanhados de um arco e flecha. Logicamente, isso facilita o progresso no cenário sem causar grandes confrontos, mas essa implementação não impede do jogador partir para a ação, e muito menos é uma regra jogar escondido o tempo todo. Mesmo que o jogo permita isso, em Crysis 3 você pode jogar como sempre jogou nas duas primeiras versões, jogar de forma furtiva é algo totalmente opcional.

Os efeitos de iluminação e sombra estão totalmente melhorados em Crysis 3, os detalhes da chuva estão 10/10.

E só pra finalizar, todas as três versões estão bem trabalhadas mas o Crysis 3 é o que se saiu melhor em termos de melhoria, não sei se é porque ele já era bonito em sua versão original ou se realmente o capricho foi maior no ultimo game da série. As versões de console estão dignas de serem adquiridas, pois ao meu ver não se tratam de um remaster pobre, muito pelo contrário, tudo que vimos em Crysis está lá só que de uma forma bem mais polida e repleta de melhorias. Mesmo sabendo que é no PC que você vai encontrar os três jogos rodando em seu melhor desempenho, Crysis Remastered Trilogy funciona muito bem no Xbox One e Playstation 4 e seu resultado final é totalmente favorável para comprar sem medo de ficar insatisfeito.

Então, caso já tenha jogado Crysis no passado e quer sentir esse revival, vá sem medo, e aos novatos que ainda não jogaram a franquia mesmo ela estando na GamePass como versões retro compatíveis da geração Xbox 360, vá na versão Crysis Remastered Trilogy que sua experiência será melhor que a pôde fazer por você.

A análise de Crysis Remastered Trilogy foi escrita com base em uma cópia de Xbox One gentilmente cedida pela assessoria de imprensa do jogo.