Análise Never Give Up (Nintendo Switch)

Um jogo de plataforma no estilo de Super Meat Boy e I Wanna Be The Guy, Never Give Up testa os reflexos e habilidades tanto quanto a persistência do jogador.

Imagine acordar num belo dia e se ver preso em um laboratório. Não apenas isso, o laboratório é uma prisão mortal que evolui cada vez que as armadilhas colocadas à sua frente são vencidas. Este é o conceito de , jogo que irá testar a sua vontade de largar o controle e ir fazer outra coisa da vida.

never give up guy
Isso não tá cheirando bem…

Die Die My Darling

Ok, esse jogo é brutal. (SMB) também é o praticamente iniciou esse estilo de plataforma focado em armadilhas, só que Never Give Up abraça mais a ideia do I Wanna be The Guy quando acrescenta a progressão implacável dos níveis. Cada sala vencida é a promessa de um desafio ainda maior logo em seguida. Novas serras, mais buracos, lança-mísseis, machados, e o que mais puder ser pensado como letal estará lá como obstáculo e se isso não for suficiente, somos importunados pelo criador desse labirinto enquanto tentamos seguidamente não desistir. Uma maneira de suavizar o horror de repetidas mortes, imagino. Uma pena que o jogo não esteja localizado para Português Brasileiro.

mapa never give up
Cartola_-_O_Mundo_é_um_Moinho.mp3

O simpático bonequinho azul é até bastante preparado para a tarefa imposta já que corre com facilidade, consegue deslizar facilmente pelo chão, o que permite escapar por trechos estreitos e armadilhas suspensas, pode executar pulos nas paredes e possui a melhor habilidade já criada para jogos de plataforma: pulo duplo – essencial durante os encontros com os chefes. Uma pena, apesar da jogabilidade ser bastante precisa, que o estilo artístico do jogo não seja pixel art mas em vez disso apresente o estilo de cartunesco similar ao do SMB mas com a possibilidade de desbloquear roupas diferentes. Afinal, nada pior do que morrer repetidas vezes usando a mesma fantasia.

Trem das Sete

Um jogo assim teria vida curta na biblioteca de qualquer cidadão, afinal a gente joga pra vencer e não o oposto. Então, Never Give Up surpreende ao nos dar a possibilidade de desistir da fase em que estamos e seguir para o próximo nível. Um alento, de fato mas o próximo nível nunca será mais fácil que o anterior então por mais que a desistência nos dê um pouco de fôlego, junto com o fôlego vem uma nova onda de armadilhas.

never give up primeiro boss
É mais fácil do que parece. Mas dá uma dor de cabeça.

Mas ainda assim é possível recuar. Desde que atinja um número X de mortes você pode simplesmente desistir de todas as fases e pular direto para o chefe, mas dessa vez precisará enfrentá-lo pois não há como evitar o encontro.

Never Gonna Give You Up

Dá pra concluir o raciocínio dizendo que todos os elementos em Never Give Up contribuem para uma experiência que segue resoluta pela linha tênue entre a fúria pelas falhas e a satisfação por terminar uma fase difícil – no nível do trecho de motos na neve de Blazing Chrome, aquela desgraça maravilhosa. O elemento da desistência é essencial para manter aceso o interesse do jogador e se pararmos para pensar bem veremos que, numa reversal Russa, é o jogo que não desiste nunca de você.

never give up - desistencia
( ͡° ͜ʖ ͡°)
Let's rock and ride!